segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Se eu te vejo bem desse lado, aqui do outro eu consigo me orientar

cuida dele, é só o que peço, eu estou disfarçando bem ultimamente ou não, mas a falta que você está me fazendo está me corroendo por dentro, não me deixa se quer dormir direito. onde você está hein? quando você some assim, sem volta, sem me dizer como você está, sem mais nem menos, me dá raiva, me angustia, me faz sentir sua falta de um jeito anormal. sabe o que eu realmente queria estar fazendo agora? onde eu queria estar agora? com quem eu queria estar agora? todas as perguntas levam a você. esses dias de merda que não passam, essa vontade de te ver que não passa, acho que você está tirando o seu atraso agora ou tirou ontem a noite, ou daqui a pouco quem sabe, ela deve ser um espetáculo na cama, deve fazer loucuras com você, te deixar louco sem ao menos te tocar, ou não. acho que eu sempre te deixei louco sem ao menos te tocar, isso é comigo não é? o meu modo de cuidar de você.
minha vontade é te ver uma última vez pra falar outras coisas as quais eu não quis falar, pois eu tinha medo, eu era/sou inseguro, se der sorte – se é que posso chamar isso de sorte – te ver com a sua menina, e falar primeiramente a você o que eu sentia, o que eu ainda sinto. lembra quando te conheci? eu não esqueço um detalhe se quer, dia 9 de julho, tipo podíamos ser irmãos como você mesmo disse, contaria todas as coisas à você, como foi meu dia, dizer que conheci alguem novo, que estou apaixonado de novo, mas não da certo, iria dizer que meu dia foi pensando nesse meu irmão, que as pessoas que conheço são meus novos amigos, que a cada dia que passa tenho mais certeza do quanto eu te quero aqui, e que o fato de você ser insubstituível me faz chegar aos meus extremos. sabe, você não percebe ou percebe demais, que quando falo dos caras que eu conheço, você sempre diz que não vai da certo, muda de assunto, fica frio comigo, eu provoco né? juro que não faço por mal, ou faço. contraditório.
gosto de ver que você por mais que nos separamos, você pra lá, eu aqui, você ainda sente um ciúme, algo pequeno mais um ciúme, eu digo que pensar em você, me faz cuidar de você, e depois de ter falado tudo o que tinha pra falar – por mais que eu tenha todo tempo do mundo, sempre tem algo que eu vou deixar de falar. dizer a ela pra cuidar de você, pra não deixar seu cabelo crescer demais, pra não te deixar raspar a barba sempre, só quando estiver muito grande mesmo, pra passar a mão de leve no seu pescoço e dizer que você não precisa se lamentar, você tá lindo assim, pra te dar todos os abraços, todos os dias, todo tempo. eu só preciso saber que você ta bem, pra poder provar que eu continuo firme.

- Douglas Lenon
12 de dezembro de 2009

2 comentários:

  1. conheço partes desse, e acho lindo. e morri com o título, o teatro mágico *-* amo você (L)

    ResponderExcluir
  2. aaaaaaaah sim sim *-* tambem te amo ♥

    ResponderExcluir