sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

tua carta me fez muito bem. e muito mal. compreendo tudo que você diz. são coisas que me digo, também. mas há uma diferença entre você saber intelectualmente da inutilidade das procuras, da insaciabilidade — vixe, que palavra! — do corpo e conseguir passar isso para o seu comportamento — tornar ato o que é pensamento abstrato. os caminhos são individuais/intransferíveis.

- Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário