quarta-feira, 31 de março de 2010

por que só o homem se aproveita? aliás, por que esse "se", como se o ato sexual fosse praticado por um só? homens e mulheres apenas “se” aproveitam quando “se” masturbam, amando-se a si próprios. o resto é em proveito dos dois.

- Martha Medeiros in Homens que se aproveitam pertencente a obra "Trem-bala"

se era só pra ficar por ficar, me explica o brilho no olhar?

- Autor Desconhecido

terça-feira, 30 de março de 2010

visto a roupa devagar. começo a descer as escadas. não olho para trás. de que adiantaria olhar? de que adianta não olhar?

- Caio Fernando Abreu
você diz que não sabe dançar, mas conduz o meu corpo como ninguém.
quando estou no seu corpo não me apresso. tranco a porta e jogo fora a chave. só concordo em fazer o caminho de volta se for para começar tudo outra vez. porque no seu corpo o meu corpo fica completo.
quando estou no seu corpo tudo fica bem. é como se minha alma estivesse em casa. porque o seu corpo é o lugar para onde eu sempre quero voltar.

- Gabito Nunes in Você diz que não sabe dançar
- Gabi Gomes.
quantos somos dentro de nós? cada pessoa é habitada por diversas personalidades, e aí talvez esteja a origem da nossa angústia existencial. todos exigem de nós uma classificação, um currículo de qualidades e defeitos que possam ser descritos em poucas linhas. no entanto, a contradição é nossa única marca registrada.

para muita gente, é difícil administrar tantos "eus" num único corpo. ao depararmo-nos com nossas contradições diárias, ficamos com a impressão de sermos meio mascarados, pessoas de múltipla identidade, em quem não se deve confiar. bobagem. ninguém é 100% uma coisa só. a contradição é o sintoma de que você não pára de se questionar, de que reavalia constantemente suas escolhas, de que optou pela flexibilidade e pela renovação de intenções. nascer e morrer sem nunca mudar de idéia é muito monótono. seja sempre você mesmo, mas não seja o mesmo para sempre.

- Martha Medeiros in Censo Interno pertencente a obra "Trem-bala"

segunda-feira, 29 de março de 2010

eu — você gosta de mar?
ela — gosto. parece uma coisa que eu sinto às vezes por dentro e nem sei bem como é. nem o que é. acho que se um dia eu me matasse seria no mar. queria ir entrando na água bem devagarinho, vestida de branco, descalça, cabelos soltos.
eu — poesia fácil.
ela — vá à merda.

- Caio Fernando Abreu
para Aline minha gayzinha *-*
mas aí, daqui uns dias, você vai me ligar. querendo tomar aquele café de sempre, querendo me esconder como sempre, querendo me amar só enquanto você puder vulgarizar esse amor. me querendo no escuro. e eu vou topar. não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer. apenas porque você me lembra o mistério da vida. simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo.

- Tati Bernardi.

Dissertação 42

fecha a porta quando sair. e viu, não conta pra ninguém não, mas, eu te desejo muito.

- Douglas Lenon
29 de março de 2010

eu — é possível um rio secar completamente?
ela — claro que é.
eu — mas será que ele não enche depois? nunca mais?
ela — alguns sim, outros não.
eu — mas nunca mais?
ela — sei lá, acho que não.
eu — você tem certeza?
ela — certeza eu não tenho. só estou dizendo que acho. afinal não sou nenhuma especialista em matéria de rios, secos ou não.
eu — sabe?
ela — o quê?
eu — eu tinha esperança que o rio voltasse a encher um dia.

- Caio Fernando Abreu

domingo, 28 de março de 2010

beijo é maravilhoso porque você interage com o corpo do outro sem deixar vestígios, é um mergulho no escuro, uma viagem sem volta. beijo é uma maneira de compartilhar intimidades, de sentir o sabor de quem se gosta, de dizer mil coisas em silêncio. beijo é gostoso porque não cansa, não engravida, não transmite o HIV. beijo é prático porque não precisa tirar a roupa, não precisa ligar no dia seguinte, não constitui atentado ao pudor.

- Martha Medeiros in Beijo na Boca pertencente a obra "Trem-bala"

Amor de inverno

eu não poderia responder se chegou a ser paixão, era agosto e eu nem saía de casa direito, foi tão rápido, quando dei por mim já tava pensando em você no meu café da manhã - no meu almoço, na minha janta. eu não queria, não me leve a mal, mais eu realmente não queria ter gostado tanto assim de você. às vezes me perguntava se era isso mesmo que eu queria, se era você mesmo quem eu ia querer pra vida inteira. mais a gente não percebe que esses amores de inverno só acontecem uma vez a cada ano, e não duram para sempre.

- Douglas Lenon
28 de março de 2010
mas por que não me deixo guiar pelo que for acontecendo? terei de correr o sagrado risco do acaso. e substituirei o destino pela probabilidade.

- Clarice Lispector.
é manhã? não sei: é silêncio apenas. fecho os olhos. somente a memória fala: porque é certo que as pessoas estão sempre crescendo e se modificando, mas estando próximas uma vai adequando seu crescimento e sua modificação ao crescimento e à modificação da outra; mas estando distantes, uma cresce e se modifica num sentido e outra noutro completamente diferente, distraídas que ficam da necessidade de continuarem as mesmas uma para a outra.

- Caio Fernando Abreu

Toca o foda-se

eu chamo de toca o foda-se, porque esse é o meu jeito de ser. não tem o porquê de eu ficar mal. ficar mal não faz ninguém engolir as palavras que disse, ficar mal não faz o mundo mudar e ficar ao meu favor, ficar mal é pretexto pra não tomar iniciativa. se pensam do jeito que falaram, toca o foda-se, conviver é uma coisa, aceitar a situação é outra. se realmente falaram o que falaram deixa fluir ué, mais cedo ou mais tarde vão precisar de mim, e ai quem fica por cima tem o gosto de dizer 'ué eu não era o duas caras?' não me importo com o que não tem importância alguma. e tenho dito.

- Douglas Lenon
28 de março de 2010
cair na real é duro, mas é isso que temos que aprender dentro de casa. sucesso é ter um emprego, uma vida tranquila, meia-dúzia de amigos fiéis, um pouco de lazer, algum estudo e a cabeça no lugar. sonhar é bom e saudável, ler revistas é uma delícia, imaginar cenas de novela acontecendo conosco é permitido e indolor, mas nada nos deixa mais vulneráveis do que cruzar a fronteira do imaginário. do outro lado, ninguém sabe o que há.

- Martha Medeiros in Maníacas pela Fama pertencente a obra "Trem-bala"

Dissertação 41


seja sincero, você não enjoa de me ter 24 horas por dia?

- Douglas Lenon
28 de março de 2010

sábado, 27 de março de 2010

eu olho sempre pro relógio gigante que fica bem no centro do meu quarto. e sei que todo dia ele passa, sempre às cinco da tarde. o trem pra sempre. eu corro junto, ao lado, por um tempo, mas canso já morrendo de rir. e fico feliz que não foi dessa vez. e fico feliz de ter chegado perto. já senti como é o cheiro de dentro. já experimentei sentar na janelinha com ele parado. já me imaginei embaixo, esmagada. em cima, surfando antes de pegar fogo. sei todos os ângulos de ir, mas vivo no lugar de quem fica.

- Tati Bernardi
não têm pessoas que cosem para fora? eu coso pra dentro.

- Clarice Lispector
preciso cortar os cabelos, pensou sem compreender. ou sem querer compreender. ou sem querer, apenas.

- Caio Fernando Abreu
"para um escritor, a linguagem é seu bem mais precioso. é uma relação que envolve enorme cuidado, respeito, quase uma reverência religiosa. ela pe trabalhada de maneira muito pessoal porque é através dela que criamos nossa identidade como escritor. já para o político, a linguagem é apenas um instrumento. como ele quer chegar ao maior número de pessoas, ele a simplifica e a repete. por isso, em política, é irresistível o uso de estereótipos, clichês, estribilhos, tudo o que em literatura significa palavra morta".

- Martha Medeiros in Palavras Mortas pertencente a obra "Trem-bala"

sexta-feira, 26 de março de 2010

Eu só queria cuidar de você

aonde que eu vou para? será que essa seria a pergunta do dia, ou até mesmo do milênio. eu pensei que havia explorado todos meus limites. na verdade, eu explorei todos — ou quase todos. me esqueço de um deles que eu deixo adormecido, eu tenho medo até de passar do lado. parece que a qualquer momento ele pode acordar ou até mesmo ele possa se perder de mim. nessas horas de solidão inevitável, eu sento a poucos metros de distância desse sentimento e sem perceber começo a conversar com ele. não necessariamente com ele, mas só o fato de eu soltar tudo que tá aqui dentro, já me faz sentir melhor.
te ver dormindo assim me da vontade de te abraçar, de cuidar de você. esse rosto não pode ser seu — ele tem que ser meu. não eu não sou tão possessivo assim. mais de alguma forma parece que você não existe, até mesmo existindo eu tenho medo de que a qualquer momento você possa desaparecer sem deixar rastros. te jurei amor eterno veja que loucura, você deveria ter me internado quando eu disse isso. eu disse que se eu não conseguiria ficar um mês sem te ouvir, me mataria por medo de esquecer tua voz. e quando começamos a discutir sobre a falta que você me fazia, você sempre achou um absurdo eu sentir tanta falta assim de você.
trilhando um novo caminho você começa a aprender outras coisas, e vê que a conversa tem que ser outra, nessa história de 'eu cuido de você', eu fico de escanteio. eu apenas cuido. parece que só sei lidar com a espada, e onde fica meu escudo? eu também quero alguém pra cuidar de mim. eu preciso de alguém tanto quanto você, eu mereço alguém tanto quanto você. e chega de promessas porque eu espero você, com tristeza não vou negar, lembra o lance de você entrar com a felicidade eu entrar com a tristeza pra balancear o relacionamento. mais se apresse porque os 45 do segundo tempo já passou e você tem os acréscimos pra me fazer acreditar em tudo de novo.

- Douglas Lenon
26 de março de 2010
vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta. de como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois.

- Clarice Lispector

era bonito? sacudiu a cabeça em negativa de indecisão, como explicar, como formular que ele apenas era, sem adjetivos, era, estava sendo, embora sem saber, sem esforço algum — era.

- Caio Fernando Abreu
quando vai dando assim, tipo umas onze da noite, o horário que a gente se procurava só pra saber que dá pra terminar o dia sentindo algum conforto. quando vai chegando esse horário, eu nem sei. é tão estranho ter algo pra fugir de tudo e, de repente, precisar principalmente fugir desse algo. e daí se vai pra onde?

- Tati Bernardi

Dissertação 40

a famosa lenda de estar no lugar errado, no momento errado. e fica o ódio enorme — gigante — de não ter conquistado o sorriso certo da pessoa certa.

- Douglas Lenon
26 de março de 2010
gosto de quem não tem vergonha de ser quem é, que não se deixa inflar pelo próprio ego. acho essa gente muito mais campeã. vencer é não perder pontos, não perder gols, não perder posição, mas é também não perder-se de si mesmo, talento que poucos têm.

- Martha Medeiros in Vencer sem se perder pertencente a obra "Trem-bala"

quinta-feira, 25 de março de 2010

e ninguém, mas ninguém percebia que a sua raiva era um amor muito bem disfarçado, para que ninguém risse, para que ninguém o olhasse surpreso com a grandeza de seu coração.

- Caio Fernando Abreu
e olha pra mim, sério e sábio e puro e apenas bicho. e eu escuto: seu erro é usar a única força que te mantém viva pra fazer teatrinho de gente.

- Tati Bernardi
não funciona assim. ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não-fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo à porta. o amor não é chegado a fazer contas, não obedece a razão. o verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. (...)
ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. isso são só referências. ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

- Martha Medeiros in As razões que o amor desconhece pertencente a obra "Trem-bala"

No silêncio, eu ouço o barulho que a gente faz


há pouco tempo atrás eu era só um compositor de araque, fazia músicas pra mim mesmo. dizendo e não dizendo o que se passava comigo, mais hoje tendo se passado mais de meio ano eu posso re-contar a história mal contada. era julho e eu vi alguem na plateia, pô eu era só um compositor e nada mais. ela tinha olhos de mel, um sorriso inacreditável, uma pele excepcional, e nem o nome dela eu perguntei. eu sei que ela tinha um rosto, mais nada além disso. a partir daí eu comecei a compor músicas pra ela, mas o que eu não sabia — ou sabia, era que eu não sabia cantar. eu tinha todas as notas das músicas no meu corpo feita para um rosto na plateia, ela sabe que eu existo porque não tirei os olhos dela em momento algum, mais além dela saber que eu existo, eu queria tocá-la. e como minha boca não pode responder por mim, toda noite meu corpo canta pra ela.

- Douglas Lenon
25 de março de 2010

quarta-feira, 24 de março de 2010

o rosto dele próximo do meu. mais adivinho do que vejo o verde dos olhos deslizando pelas órbitas. a sua mão toca no meu ombro, sobe pelo pescoço, me alcança a face, brinca com a orelha, alcança os cabelos. o seu corpo cola-se ao meu. a sua boca vem baixando devagar, vencendo barreiras, colando-se à minha, de leve, tão de leve que receio um movimento, um suspiro, um gesto, mesmo um pensamento. estou em branco como a noite. ele me abraça. ele está perto.

- Caio Fernando Abreu
verbos transformados em substantivos por causa da evolução dos atos. a essência transformada em dureza pra durar mais e eu só querendo, sempre, ir embora logo.

- Tati Bernardi
mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. saudade da pele, do cheiro, dos beijos. saudade da presença, e até da ausência consentida. você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. você podia ir para o escritório e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
saudade é não saber. não saber mais se ele continua se gripando no inverno, não saber mais se ela continua nua pintando o cabelo de caju. não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. não saber se ele tem comido frango assado, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se ela continua lhe amando.
saudade é não saber. não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
saudade é não querer saber. não querer saber se ele esta com outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais bela. saudade é nunca mais querer saber de quem ama, e ainda sim, doer.

- Martha Medeiros in A dor que dói mais pertencente a obra "Trem-bala"
eu disse: a lua está tão bonita que dói por dentro. ele não entendeu. é tudo tão bonito que me dói e me pesa. fico pensando que nunca mais vai se repetir, é só uma vez, a única, e vai me magoar sempre. não sei, não quero pensar. neste espaço branco de madrugada e lua cheia, preciso falar, e mais do que falar, preciso dizer. mas as palavras não dizem tudo, não dizem nada.

- Caio Fernando Abreu

terça-feira, 23 de março de 2010

Dissertação 39

não adianta reclamar,
a vida segue na maneira dela
nada é por acaso,
nada vai mudar.

vocês são muito jovens
pra entender o que eu digo agora,
que certos caminhos
não tem volta.

- Douglas Lenon
23 de março de 2010
solidão só dói quando é inevitável.

- Martha Medeiros in Sozinha no restaurante pertecente a obra "Trem-bala"

mas era nos olhos, só nos olhos, que se fixava aquele mudo apelo, aquele grito. nem sei. aquela clara maldição. saí, saiu. não dissemos nada. eu só tenho esperas. ele traz a tranqüilidade de mais nada esperar.

- Caio Fernando Abreu

Na porta de casa


— eu vim buscar as minhas roupas que eu disse que viria buscar depois.
— então pode dar meia volta, eu já recolhi tudo que era seu e mandei pra tua menina na casa dela.
— por que você fez isso? e você ainda me chama de infantil.
— você não me entendeu.
— como assim?
— eu já recolhi tudo que era seu e mandei pra tua menina. - repito.
— sim, você já disse isso, eu não consigo entender.
— até porque você nunca me entendeu mesmo não é? eu entreguei pra ela tudo que era seu, até os presentes que ganhei de ti, desde os abraços que você me deu até a vida que você me prometeu. então a única coisa que tem aqui que você um dia poderia ter levado sou eu.
— a gente tinha tudo pra dar certo, mas..
— mas eu faço dramas demais, e eu não sei competir.
— não era isso que eu ia dizer.
— mas é isso que você pensa. agora é minha vez de ser infantil, bater o pé e não querer nunca mais te ver, ou seja, vai buscar o que é teu, e eu não to falando das tuas roupas.
vou fechando a porta, deixando que o vento leve as minhas palavras. então ele empurra a porta levemente e diz:
— me deixa tentar de novo? eu prometo que vai ser diferente, eu me prometo a você.
— de novo? tudo isso de novo. já não da mais pra acreditar.
— me desculpa, eu te amo de uma maneira que eu não sei explicar, e às vezes te machuco.
— mas eu não quero tudo de novo, tudo de novo ia ser repetitivo demais, iria doer demais.

- Douglas Lenon
23 de março de 2010
se eu tivesse a força, que você pensa que eu tenho, eu gravaria no metal da minha pele, o teu desenho. ♪

- Pouca vogal
3x4

segunda-feira, 22 de março de 2010

talvez eu não tenha pego o espírito da coisa, mas não importa. sigo reticente quanto a esses cruzeiros que enquadram os passageiros numa excursão, forçando a convivência pacíficia. transatlânticos parecem amostras grátis do mundo. prefiro o original, que é maior e não afunda.

- Martha Medeiros in Resorts flutuantes pertecente a obra "Trem-bala"
a lua está tão bonita que dói por dentro, fala. depois retrai-se como o dedo não queimado. sempre o medo de chegar perto demais, de não poder voltar atrás, pensa, e solta devagar a fumaça pelas narinas.

- Caio Fernando Abreu
bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. aliás não se importam que saibam que eles sabem.

- Clarice Lispector
peço encarecidamente pra você abrir as cortinas pra mim, deixar eu te amar, cuidar tuas febres, tuas manias, teu corpo, (...)

- Gabito Nunes in Amor tão maior?

domingo, 21 de março de 2010

Tempo é vida


posso dizer que estou vivendo o melhor momento da minha vida, nada de compromissos, férias do trabalho, vida acontecendo, vocês leram isso? eu disse VIDA ACONTECENDO, como uma pessoa consegue evoluir em tão pouco tempo. acho que evolução tem nome e sobrenome, o nome pode ser melhores? e como nos Estados Unidos o sobrenome é o que marca, podemos chamar o sobrenome de amigos então?
melhores amigos, como é bom ter vocês por perto, como é bom me sentir vivo, sentir que eu posso crescer com vocês, sentir que vocês me amam exatamente da maneira que eu sou, chegam até a amar meus defeitos de tão amigos que são. e a minha vida acontece, porque vocês fazem com que ela aconteça. eu sozinho, sou só eu, eu com vocês, somos nós. veja o quão forte e imbatível somos juntos.
lembra de quando me falaram, você é um merda, um cara que vai ficar sozinho até saber se comportar, se colocar no seu devido lugar. e agora eu me sinto mais forte que eles - os quais eu julgava tão mais forte que eu. porque eu posso não ter lá um bom emprego, uma boa vida, um amor, mais eu tenho tempo, e tempo, tempo é vida.

- Douglas Lenon
21 de março de 2010
para todas as pessoas que não desistiram de mim.
pelos descaminhos, meu rumo se perdia, eu tornava a buscar, recomeçava — e novamente errava, e novamente insistia, túrgido de ternura, me encarei.

- Caio Fernando Abreu
é tempo de meio silêncio,
de boca gelada e suspiro,
de palavra indireta, aviso na esquina.
tempo de cinco sentidos num só.

- Carlos Drummond de Andrade
alguns têm a sorte de encontrar seu grande amor no momento adequado. outros resistem às pressões sociais e não trocam seu grande amor por outros planos, vivem o que há pra ser vivido, não importa se cedo ou tarde demais. mas grande parte da população dança conforme a música. um pequeno amor, surgido entre os 25 e 30 anos, tem tudo para virar um grande amor. um grande amor, surgido em outras faixa etárias, tem tudo para virar uma fantasia.

- Martha Medeiros in A Idade de casar pertencente a obra "Trem-bala"

Dissertação 38

com quase 18 anos nas costas e parece que tenho mais passado do que futuro.

- Douglas Lenon
21 de março de 2010
é esse gelo por dentro que eu não consigo entender. você se doou tanto quando eu não pedia, e no momento em que pela primeira vez pedi, você negou, você fugiu. é esse seu bloqueio de aço encouraçando o silêncio, eu não consigo entender.

- Caio Fernando Abreu

sábado, 20 de março de 2010

Preso a liberdade

eu to me desesperando a cada minuto que passa. as pessoas podem chamar de medo ou até mesmo de delírio, mas eu tenho medo de não conseguir amar mais. eu não sei o que é não ter alguém pra confiar. uma luz no fim do túnel. eu pensei que quando as pessoas ao meu redor fossem ficando solteiras que nem a mim, eu pensei que eu ia me sentir menos sozinho. porém não muda nada. uma vez com essa sensação, você acha que não vai haver nenhuma luz no fim do túnel.
talvez eu tenha pegado a trilha errada, e vou ter que voltar pra escolher outro caminho, mais durante essa trilha eu fui me permitindo a tantas coisas, a tantas pessoas, que se eu voltar, terei que me privar novamente do que eu havia me libertado. terei que retroceder de forma que eu pegue o caminho certo, me permitindo e me valorizando novamente. passa um tempo e, você acha que perdeu todo valor, que as pessoas te olham de uma maneira diferente, se sente sujo.
eu apresento a vocês a liberdade, depois que você fica preso a ela, você não consegue mais dizer sim para relacionamentos mais longos, você só consegue aproveitar e se aproveitar. se aproveitar de coisas boas, de mundos diferentes. mais lidar com a liberdade não é algo fácil. ser preso a liberdade é para poucos, mais ser solto por ela te deixa encurralado.

- Douglas Lenon
20 de março de 2010

quero os melhores óleos e perfumes, quero a vida da melhor espécie, quero as esperas mais delicadas, quero as melhores carnes finas e também as pesadas para comer, quero a quebra de minha carne em espírito e do espírito se quebrando em carne, quero essas finas misturas - tudo o que secretamente me adestrará para aqueles primeiros momentos que virão.

- Clarice Lispector
veja, os meus cabelos estão molhados, caminhei horas pela chuva querendo e não querendo procurar você.

- Caio Fernando Abreu
mas a tradicional família brasileira tem a sua própria definição do que é realidade e o que é ficção. realidade é a maneira que gostariam que o mundo fosse. ficção é o mundo como ele é.

- Martha Medeiros in Atrasados e Orgulhosos pertencente a obra "Trem-bala"
você não é mais meu. você nunca foi meu. você nunca quis ser meu. estaríamos juntos se você quisesse.

- Fernanda Young
posto que a maneira-adulta-de-comunicar-se trata-se de um constante dizer o que não se quer, pedir o que se tem e dar o que não se possui.

- Caio Fernando Abreu

sexta-feira, 19 de março de 2010

eu prefiro morrer sua amiga do que quebrar algum elo misterioso e te perder para sempre. te perder como sempre (...) tenho vontade de perguntar baixinho: você não gosta nem um pouquinho de mim? nem sequer um tiquinho? eu sempre me apaixono por você. todas as vezes que te vi, eu sempre me apaixonei por você.

- Tati Bernardi.

compreenda, eu só preciso falar com você. não importam as palavras, os gestos, não importa mesmo se você continua a fugir e se empareda assim, se olha para longe e não me ouve nem vê ou sente. eu só quero falar com você, escute.

- Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 18 de março de 2010

seria mais alegre e romântico um discurso assim:

ela: "prometo nunca sair da cama sem antes dar bom-dia, deixar você ver os jogos de futebol na tevê sem reclamar, ter paciência para ouvir você falar dos problemas do escritório, ter arroz e feijão todo dia no cardápio, acompanhar você nas caminhadas matinais de sábado, deixá-lo em silêncio quando estiver de mau humor, dançar só pra você, fazer massagens quando você estiver cansado, rir das suas piadas, apoiá-lo nas suas decisões e tirar o batom antes ser beijada".

ele: "prometo deixar você sentar na janelinha do avião, emprestar aquele blusão que você adora, não reclamar quando você ficar quarenta minutos no telefone com uma amiga, provar a comida tailandesa que você preparou, abrir um champanhe no final de tarde de domingo, assistir junto o capítulo final da novela, ouvir seus argumentos, respeitar sua sensibilidade, não ter vergonha de chorar na sua frente, dividir vitórias e derrotas e passar todos os Natais do seu lado".

sim, sim, sim!!!

- Martha Medeiros in Casamento na Igreja pertencente a obra "Trem-bala"

Dissertação 37

porque minha vida parece tão importante pra algumas pessoas que elas pensam que podem optar em vez de apenas opinar nas minhas escolhas.

- Douglas Lenon
18 de março de 2010
devia ser sábado, passava da meia-noite.
ele sorriu para mim. e perguntou:
— você vai para a Liberdade?
— não, eu vou para o Paraíso.
ele sentou-se ao meu lado. e disse:
— então eu vou com você.

- Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 17 de março de 2010

pois eu te proíbo de me querer, de dizer que me ama ainda, de ser meu chão, de pensar em mim, de me oferecer mais. tenho mérito a esse direito. minha resiliência segue em franca inclinação, meu universo segue em franca expansão, meu vagar em busca de um novo amor continua de pé. se hoje eu não fosse prisioneiro da liberdade, te devolveria:
- ainda te amo
mas não possuo caradura o suficiente para jogar no lixo todo tempo que levei pra superar o baque da sua ausência. sem garantias, simplesmente já não dá mais pra acreditar no amor.

- Gabito Nunes in Um ano e meio
tudo já foi pensado: vida, amor, cultura, civilização, liberdade, anticoncepcionais, comunismo, esterilização na Amazônia, exploração das potências estrangeiras, mais que nunca é preciso cantar, guerra fria e vem quente que eu estou fervendo. tudo a mesma merda. pudesse abrir a cabeça, tirar tudo para fora, arrumar direitinho como quem arruma uma gaveta. tomar um banho de chuveiro por dentro.

- Caio Fernando Abreu
viajar não é sinônimo de férias, somente. não basta encher o carro com guarda sol, cadeirinhas, isopores e travesseiros e rumarem direção a uma praia suja e superlotada. isso não é viajar, é veranear. viajar é outra coisa. viajar é transportar-se sem muita bagagem para melhor receber o que as andanças têm a oferecer. viajar é despir-se de si mesmo, dos hábitos cotidianos, das reações previsíveis, da rotina imutável, e renascer virgem e curioso, aberto ao que lhe vai ser ensinado. viajar é tornar-se um desconhecido e aproveitar as vantagens do anonimato. viajar é olhar para dentro e desmascarar-se.

- Martha Medeiros in Viajar para dentro pertencente a obra "Trem-bala"
para Léticia minha diva master :*
era coração, aquele escondido pedaço de ser onde fica guardado o que se sente e o que se pensa sobre as pessoas das quais se gosta? deve ser.

- Caio Fernando Abreu

a avalanche foi sem querer.

- Martha Medeiros in A Avalanche foi sem querer pertencente a obra "Trem-bala"

terça-feira, 16 de março de 2010

Fechei os olhos na hora errada

seria pedir muito se eu pedisse pra te abraçar pra sempre? juro que esse gesto me basta pela eternidade, que o teu toque me dá vida, e, que eu posso viver o pra sempre, sempre com você. sei te explicar exatamente como tudo chegou onde chegou. eu fechei os olhos na hora em que você ia dizer o 'case-se comigo ou feche os seus olhos'. não deu em outra né mesmo! se eu tivesse te ouvido melhor nós estaríamos em uma casa agora, com quase nada, poucos móveis, sem televisão, mais eu teria tudo, tudo o que eu precisava, teu cheiro poderia me mover, o suor da tua pele me deixaria em êxtase. se eu tivesse falado que o meu mundo só daria certo se fosse com você pra que nós pudéssemos passar todos os dias das nossas vidas falando sobre as lembranças de infância, do teu humor sarcástico, do meu cabelo oleoso. se eu tivesse aceitado, sim, aceitado aquele convite de morarmos em uma oca, com peixes no jantar e viver de amor, talvez eu não tivesse me tornado tão frio e calculista. se eu tivesse te tocado minutos antes do 'case-se comigo', você deitaria o rosto na minha mão, me puxaria pra perto e me beijaria da forma mais doce, suspiraria no meu ouvido dizendo 'esse foi o melhor sim que você poderia me dar'. se eu tivesse te entendido as coisas não seriam como são hoje, eu riria das tuas fantasias de seriados norte-americanos e diria que você conseguiu me fazer gostar de algo que eu nem suspeitava que existia. se eu tivesse te olhado, você diria 'ao menos você não fechou os olhos', e quando a vida machuca e bate a solidão, eu olho pra você, porque eu fechei os olhos na hora errada? então foi isso que deu errado em mim. mas se eu..
ouço uma voz do quarto ao lado.
- shiu...

- Douglas Lenon
16 de março de 2010
não iriam entender que vezenquando a gente fica triste sem motivo, ou, pior ainda, sem saber sequer se está mesmo triste.

- Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 15 de março de 2010

e eis então que caminho para a rua, chamo um táxi, entro nele. eis aí que olho pela janela, vejo o parque, o banco, as pipocas que não comprei. eis assim que encosto a cabeça no banco, apanho um cigarro e trago longamente. eis depois que solto a fumaça de um jeito que não sei se é sopro ou suspiro. eis.

- Caio Fernando Abreu

Dissertação 36

nosso filme, nossa música, hoje a noite, tudo nosso. sem você.

- Douglas Lenon
15 de março de 2010
não existe separação sincronizada, e essa talvez seja a grande dor do adeus. quem é dispensado carrega a mágoa de não ter sido consultado, de não ter tido a delicadeza de um aviso prévio, e pior, de ver-se frente a frente com um destino que lhe foi imposto. mesmo não havendo mais amor, o orgulho fica sempre machucado.

- Martha Medeiros in Quando um não quer pertencente a obra "Trem-bala"
sôfrego, torno a anexar a mim esse monólogo rebelde, essa aceitação ingênua de quem não sabe que viver é, constantemente, construir, não derrubar. de quem não sabe que esse prolongado construir implica em erros, e saber viver implica em não valorizar esses erros, ou suavizá-los, distorcê-los ou mesmo eliminá-los para que o restante da construção não seja abalado. basta uma pausa, um pensamento mais prolongado para que tudo caia por terra.

- Caio Fernando Abreu

domingo, 14 de março de 2010


ir embora é fácil. ficar é a prova que estamos crescendo. por isso que eu não vou embora atrás da felicidade que não encontro. eu parto quando consigo caminhar de mãos dadas com essa felicidade. não sei se a levo comigo sempre. às vezes, ela solta da minha mão e eu da dela. o que sei é que a felicidade não combina com perfeição.

- Thatiana Pimentel
tudo ia muito bem até que um dia, na fila pra comprar uma bomba de chocolate numa rua de Higienópolis, eu resolvi explodir aquela relação. ele era tão bonito que me... que me... que... sei lá. lembro que na hora pensei algo assim “ah, má vá ser bonito assim lá na puta queo pariu”. e ele foi.

- Tati Bernardi
entre homens e mulheres que acham que amor é só poesia tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado. o amor é grande mas não é dois. é preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. o amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

- Martha Medeiros in Não basta amar pertencente a obra "Trem-bala"
em luta, meu ser se parte em dois. um que foge, outro que aceita. o que aceita diz: não. eu não quero pensar no que virá: quero pensar no que é. agora. no que está sendo. pensar no que ainda não veio é fugir, buscar apoio em coisas externas a mim, de cuja consistência não posso duvidar porque não a conheço. pensar no que está sendo, ou antes, não, não pensar, mas enfrentar e penetrar no que está sendo é coragem. pensar é ainda fuga: aprender subjetivamente a realidade de maneira a não assustar. entrar nela significa viver.

- Caio Fernando Abreu
no entanto, são justamente esses dois tempos(passado e futuro) que monopolizam o planeta. o presente, coitado, não tem armas para combater duas superpotências chamadas Lembrança e Expectativa.

- Martha Medeiros in Crônica do Imediato pertencente a obra "Trem-bala"
não quero. não posso restar nu, despojado de mim mesmo. não posso recomeçar porque tudo soaria falso e inútil. as minhas verdades me bastam, mesmo sendo mentiras. não é mais tempo de reconstruir.

- Caio Fernando Abreu
e a gente vai por aí, se completando assim meio torto mesmo. e Deus escrevendo certo pelas nossas linhas que se não fossem tão tortas, não teriam se cruzado.

- Tati Bernardi.

sábado, 13 de março de 2010


de repente, estou só. dentro do parque, dentro do bairro, dentro da cidade, dentro do estado, dentro do país, dentro do continente, dentro do hemisfério, do planeta, do sistema solar, da galáxia — dentro do universo, eu estou só. de repente. com a mesma intensidade estou em mim. dentro de mim e ao mesmo tempo de outras coisas, numa sequência infinita que poderia me fazer sentir grão de areia. mas estar dentro de mim é muito vasto.

- Caio Fernando Abreu
planejar a vida, ao contrário do que muitos pensam, não é uma forma de evitar emoção. é uma forma de deixar a porta aberta para que ela não precise arrombar você.

- Martha Medeiros in Sur-pre-sa pertencente a obra "Trem-bala"

Como ver televisão e não dormir

eu agradeço por você não saber que tudo que dá errado na minha vida, eu culpo você. sempre quando algo dá errado eu penso, a culpa é dele, se eu estou assim, é porque a culpa é dele, se eu trabalho com má vontade, a culpa é dele. se eu não aguento mais meus pais falando que eu deveria arrumar alguem, a culpa é dele. e então você não é tão mal como eu dizia que era. você era a solução de todos os erros. não é querer dizer que minha vida ta boa, ou até mesmo maravilhosa, mais quando eu não quero sair, quando eu não quero ver ninguém, você é a desculpa que eu uso pra ficar em casa, e no final das contas, a culpa é minha.

- Douglas Lenon
13 de março de 2010
Fotografia

sentada aqui, desde não sei quando, olho à esquerda, olho em frente, em cima olho quase tonta de não encontrar, olham também da mesa ao lado, já perguntei as horas duas vezes, não, três, o cara respondeu direito da primeira vez, da segunda me olhou oblíquo, na terceira comentou qualquer coisa com a mulher, deve ter dito coitada, levou o bolo, me deu nojo, não exatamente nojo, que é uma coisa de estômago que se derrama viscosa pelos outros, atingindo tudo em torno, esverdeada, não, nem ódio, que grande demais, não cabe dentro de mim, da minha arquitetura frágil de mulher magra, as pernas finas suportando não sei como os ombros e o tamanho dos olhos, o ódio seria demais, eu tropeçaria toda atrapalhada com meu próprio peso, a raiva é mais mansa e eu me sinto capaz de suportá-la, a raiva cabe em mim porque não permanece, e as coisas só adentram em mim quando podem escapar em seguida, eu sufoco, sei bem, sufoco e quase esmago a coisas, as gentes também, apenas ultrapassam num, rapidez de quem não olha para trás e vai seguindo em frente, fraca demais para ser barreira, transparente, porosa feito cortina de fumaça, não, não exata mente, a fumaça ao menos faz os olhos ficarem vermelhos, provoca tosse, eu não consigo abala ninguém, um plástico, material sintético, teve pena certa, eu não quero que tenham pena de mim dói mais que tudo os outros olhando de cima, constatando a fraqueza nossa, a nossa inferioridade, quero que me olhem do mesmo plano, se ele quer comentar alguma coisa com sua companheira que diga lembra? uma vez que eu também esperei por você assim, você não vinha, não vinha nunca, eu fumava, eu bebia, eu esperava e você não vinha, mas acabou vindo e está aqui, agora, vendo uma moça que espera como eu esperei você naquele dia parece que daqui a pouco ele vai me dizer as horas sem eu perguntar, não como se estivesse se dobrando num jeito de amigo, mas como se me agredisse lançando a espera inútil no meu rosto, esqueci completamente as horas, não sei se estou aqui desde ontem, desde sempre, parece que já choveu, já fez vento e garoa, que o amarelo das folhas sobre a calçada é do outono passado, não deste, parece que já é inverno gelando agente por dentro, que o verão pesa nas pálpebras tornando lentos os gestos, dessa preguiça no andar como se a cada instante agente morresse, mas esse salto por dentro é primavera impulsionando para um verde renascido, garoa morna, fina, quieta nesse jeito de colocar os olhos longe, um longe despido de barreiras, ah essa toalha azul axadrezada de branco, o círculo úmido do copo onde uma mosca se debate, a minha bolsa, o maço quase vazio de cigarros, duas garrafas vazias de coca-cola, o cinzeiro cheio de pontas, essa música indefinida machucando por dentro, como se estivesse desde sempre aqui, escorregando devagar, as notas feito pingos de chuva na vidraça abaixada, vontade de dizer um palavrão, esses dois me olhando, assim, gozando, rindo da minha espera, mesmo o garçom de paletó branco, um dente de ouro na frente, vai escurecendo, trinta e duas tábuas no teto, gente saindo, passando, tivesse ao menos um jornal para disfarçar, não adianta, que horas serão, meu Deus, não quero perguntar outra vez, vai ficar muito evidente, já mudei mil vezes de posição na cadeira, não encontro o jeito, seria necessário um jeito específico de esperar, é medo o que eu tenho? não sei, de repente me encolho toda; um movimento interior de defesa eriçado por um sentimento que desconheço, da mesa ao lado eles levantam, vão saindo, indo embora lentos, o garçom desaparece ao lado do balcão, começa a anoitecer, todos os relógios estão parados, não sei se é ontem, se hoje ou amanhã, se é sempre, se nunca mais, estou solta aqui, completamente só, não há relógios e o tempo avança liberto, sem fronteiras nem limitações, uma bola de arame farpado, o sentimento vai se adensando em mim, transborda dos olhos, das mãos, sai pela boca em forma de fumaça, sinto meus lábios ressequidos, machucados, o gosto amargo, a bola cresce estendendo tentáculos, no meio dela eu me encolho cada vez mais, presa num círculo que cresce até explodir na vontade contida de gritar bem alto, bem fundo, rouca, exausta, correndo, esmagando as folhas de um outro outono, de um outro tempo, ainda este, o tempo, o outono, a tarde, o mundo, a esfera, a espera em que estou para sempre presa.

- Caio Fernando Abreu
a realidade sempre se manteve sob nossos pés. até agora. receio que estamos indo longe demais, receio pior que isso, eu não quero parar.

- Autor Desconhecido
estou cortando nossos laços, deixo nós em dois pedaços pra quem sabe em outros braços me encontrar. mas eu sei que faço tudo errado, já estou acostumado a deixar e ser deixado. ♪

- Hateen
Voltar ao normal
depois de todas as tempestades e naufrágios, o que fica de mim em mim é cada vez mais essencial e verdadeiro.

- Caio Fernando Abreu.

sexta-feira, 12 de março de 2010


nunca ao menos te beijei mas talvez você seja a pessoa que mais gostei até hoje, e nunca tive coragem de te contar isso. quem diria, os que tiveram comigo tentaram me impressionar, mas nenhum foi tão maravilhoso quanto você, que só de estar do meu lado já me fazia bem...

- The O.C
o que obviamente não presta sempre me interessou muito. gosto de um modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão.

- Clarice Lispector

Dissertação 35

— você escreve muito bem, se é que você percebeu isso.
— eu sou muito perceptivo, se é que você percebeu isso.

- Douglas Lenon
12 de março de 2010
como um filtro, um filtro seletivo, vão ficando apenas as coisas e as pessoas que realmente contam

- Caio Fernando Abreu
sou talvez a visão que alguém sonhou,
alguém que veio ao mundo pra me ver,
e que nunca na vida me encontrou!

- Florbela Espanca
cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar.

- Machado de Assis
ou talvez eu só precise de férias, um porre e um novo amor.

- Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 11 de março de 2010


às vezes me dá enjoô de gente. depois passa e fico de novo toda curiosa e atenta. e é só.

- Clarice Lispector
pedi a ele uma DEFINIÇÃO. ou me quer e vem, ou não me quer e não vem. mas que me diga logo pra que eu possa desocupar o coração. avisei que não dou mais nenhum sinal de vida. e não darei. não é mais possível. não vou me alimentar de ilusões. prefiro reconhecer com o máximo de tranqüilidade possível que estou só do que ficar a mercê de visitas adiadas, encontros transferidos. no plano REAL: que história é essa? no que depende de mim, estou disposto & aberto. perguntei a ele como se sentia. que me dissesse. que eu tomaria o silêncio como um não e ficaria também em silêncio. acho que fiz bem.

- Caio Fernando Abreu
que te dizer? que te amo, que te esperarei um dia numa rodoviária, num aeroporto, que te acredito, que consegues mexer dentro-dentro de mim? é tão pouco. não te preocupa. o que acontece é sempre natural — se a gente tiver que se encontrar, aqui ou na China, a gente se encontra. penso em você principalmente como a minha possibilidade de paz — a única que pintou até agora, “nesta minha vida de retinas fatigadas”. e te espero. e te curto todos os dias. e te gosto. muito.

- Caio Fernando Abreu
não gosto de perder as minhas coisas, você sabe. e hoje, cercada pela sua ausência, procuro o que procurar. experimentando o desânimo da busca desiludida. pois, se um amor como aquele acaba dessa maneira, vale a pena encontrar um outro? será inteligente apostar tanto de novo?

- Fernanda Young

quarta-feira, 10 de março de 2010

quem falou da primavera sem ter visto seu sorriso, falou sem saber o que era.

- Cecília Meireles
seja como for, continuo gostando muito de você — da mesma forma —, você está quase sempre perto de mim, quase sempre presente em memórias, lembranças, estórias que conto às vezes, saudade..

- Caio Fernando Abreu
então acordei, mais me dei conta de que o sonho tinha sim um pouco de realidade. você estava saindo lentamente do meu campo de visão, tentei, e continuo tentando fazer isso parar. mais a cada dia, quando eu penso que está tudo ótimo, a crise rebate sobre nós.

- Gabriela Santiago

e também meu medo era agora diferente: não o medo de quem ainda vai entrar, mas o medo tão mais largo de quem já entrou.
tão mais largo: era o medo de minha falta de medo.

- Clarice Lispector.

terça-feira, 9 de março de 2010

Pega de supresa

eu acabo me doando demais, então vou me comprometer comigo e não me separar mais de mim, amor é para poucos meu filho. antes ficar comigo mesmo que eu posso dizer as coisas, que eu sei que 'eu' não vou sair correndo, do que ficar com alguem e ter coisas pra falar, e esse alguem sempre fugir das minhas palavras. essa é a vantagem do amor próprio você cuida mais de você mesmo. mais no final das contas você encontra alguem, e fica perdidamente bobo, sem o que dizer, e não pensa mais no que tinha feito, no compromisso que havia selado, e fica contra você mesmo.

- Douglas Lenon
09 de março de 2010
tô morando, trabalhando, estudando e amando. esses são os quatro foles da minha vida, no momento, e sobre cada um deles eu teria milhares de páginas a preencher. sei lá menina, tá tudo tão legal — e um legal tão batalhado, um legal merecido, de costas e pernas doendo, mas coração tranquilo!

- Caio Fernando Abreu
quando estou feliz demais sinto uma angústia amordaçante: assusto-me. sou tão medrosa. tenho medo de estar viva porque, quem tem vida um dia morre.

- Clarice Lispector

segunda-feira, 8 de março de 2010

para mim, atualmente, companheirismo e lealdade são meio sinônimos de felicidade.

- Caio Fernando Abreu
se eu não disse é porque não sabia que sabia — mas agora eu sei. vou te dizer que eu te amo. sei que te disse isso antes, e que tambem era verdade quando te disse, mas é que só agora estou realmente dizendo.

- Clarice Lispector

Dissertação 34

meu caso é realmente de psiquiatra, veja bem, se fosse um caso normal eu iria ao psicólogo, isto é, eu falaria pra ele qual é o meu problema, e ele me ajudaria a resolver, mais aí que está o problema, eu devo ir a um psiquiatra, isto é, pessoas que procuram qual é o seu problema.

- Douglas Lenon
08 de março de 2010

não importa mais o que foi perdido, importa apenas o teu sorriso e nada mais.

- Caio Fernando Abreu
sonhe com o que você quiser. vá para onde você queira ir. seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida e nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos. tenha felicidade bastante para fazê-la doce. dificuldades para fazê-la forte. tristeza para fazê-la humana. e esperança suficiente para fazê-la feliz.

- Clarice Lispector
e quis te dizer de como era bom que a gente tivesse se encontrado, assim, sem pedir, sem esperar.

- Caio Fernando Abreu

domingo, 7 de março de 2010

e tu olharias para o último quebrar de onda, para as ondas que já não quebram mais, para onde já nem existem ondas, para onde só resta o verdeverdeverde inexplicável na sua simplicidade de cor-de-mar-em-dia-claro, ao mesmo tempo olharias para o ponto de encontro entre o mar e o céu. e seria o além.

- Caio Fernando Abreu
uma das coisas boas desse ano que passou foi conhecer você.

- Caio Fernando Abreu
costumo brincar dizendo que sou a pessoa mais impontual do mundo: chego sempre 10 minutos antes. parece ansiedade, mas é apenas previdência. entre mim e o lugar do encontro pode existir uma coisa chamada imprevisto, e eu não suporto deixar as pessoas esperando por mim. prefiro eu esperar por elas. e como espero.

- Martha Medeiros
e eu acho que é por isso que te escrevo, para cuidar de ti, para cuidar de mim — para não querer, violentamente não querer, de maneira alguma ficar na sua memória, seu coração, sua cabeça, como uma sombra escura.

- Caio Fernando Abreu

sábado, 6 de março de 2010


boas e bobas, são as coisas todas que penso quando penso em você. assim: de repente ao dobrar uma esquina dou de cara com você que me prega um susto de mentirinha como aqueles que as crianças pregam umas nas outras. finjo que me assusto, você me abraça e vamos tomar um sorvete, suco de abacaxi com hortelã ou comer salada de fruta em qualquer lugar. assim: estou pensando em você e o telefone toca e corta o meu pensamento e o do outro lado do fio você me diz: estou pensando tanto em você.

- Caio Fernando Abreu

Dissertação 33

não vejo graça em ficar à parte, e não fazer parte.

- Douglas Lenon
06 de março de 2010
para que te servem essas unhas longas? para te arranhar de morte e para arrancar os teus espinhos mortais, responde o lobo do homem. para que te serve essa cruel boca de fome? para te morder e para soprar a fim de que eu não te doa demais, meu amor, já que tenho que te doer, eu sou o lobo inevitável pois a vida me foi dada. para que te servem essas mãos que ardem e prendem? para ficarmos de mãos dadas, pois preciso tanto, tanto, tanto - uivaram os lobos e olharam intimidados as próprias garras antes de se aconchegarem um no outro para amar e dormir.

- Clarice Lispector in Os desastres de Sofia pertencente a obra "A Legião Estrangeira"
eu chorava, no começo eu chorava e não entendia, apenas não entendia, e não entender dói, e a dor fazia com que eu chorasse, no começo. eu sentia uma saudade, no começo, uma saudade apertada de gente, principalmente de gente. não me lembro mais qual era o meu sexo, agora olho no meio das minhas pernas e não vejo nada além de uma superfície lisa e áspera, mas no começo eu sabia, eu tinha um sexo determinado, e a saudade que eu tinha de gente fazia com que eu rolasse horas na areia do sol abrasador, abraçando meu próprio corpo, inventando um prazer que eu precisava para me sentir vivendo talvez, porque eu não tinha medos nem preocupações nem mágoas nem nada concreto nem expectativas, ..

- Caio Fernando Abreu
por te falar eu te assustarei e te perderei? mas se eu não falar eu me perderei, e por me perder eu te perderia.

- Clarice Lispector.

sexta-feira, 5 de março de 2010

às vezes me lembro dele. sem rancor, sem saudade, sem tristeza. sem nenhum sentimento especial a não ser a certeza de que, afinal, o tempo passou. nunca mais o vi, depois que foi embora. nunca nos escrevemos. não havia mesmo o que dizer. ou havia? ah, como não sei responder as minhas próprias perguntas! é possível que, no fundo, sempre restem algumas coisas para serem ditas. é possível também que o afastamento total só aconteça quando não mais restam essas coisas e a gente continua a buscar, a investigar — e principalmente a fingir. fingir que encontra. acho que, se tornasse a vê-lo, custaria a reconhecê-lo.

- Caio Fernando Abreu

Demorei muito pra me encontrar

qual a parte do "não me venha com mais conversa, acabou" que você não entendeu? eu tive que engoli muita coisa, você sabe disso. não sabia que demorava tanto pra interpretar uma frase. eu particularmente não entendia muita coisa das quais você dizia - era como você costumava dizer. mais quando eu disser "acabou" é porque realmente não tem mais volta, não tem mais no que insistir. eu repito de novo a minha pergunta, "QUAL PARTE DO 'NÃO ME VENHA COM MAIS CONVERSA, ACABOU'" e veja só que ironia, você ia ganhar de mim, ganharia dizendo "qual a parte do 'não podemos ficar juntos, serão só ficadas'" que eu não entendi. eu demorei muito pra compreender a mensagem oculta que você me dizia sem dizer. agora entenda o que eu digo, dizendo.

- Douglas Lenon
05 de março de 2010

mas agora eu não vou mais poder transcender, vou ter que saber, e irei sem ti, a quem eu quis pedir socorro.

- Clarice Lispector.

quinta-feira, 4 de março de 2010

eu não sei. tenho tanto medo. estou esperando, cansei de escrever, a vela está quase apagando. vou deitar. estou ouvindo o rumor do ovo se aproximando cada vez mais. é um barulho leve, leve. quase como um suspiro de gente cansada. está muito perto. tão perto que ninguém vai-me ouvir se eu gritar.

- Caio Fernando Abreu
é, não finge que não viu. eu percebi o tom de voz dos seus amigos. não vem dizer que também não sentiu. que não fez falta meu jeito desajeitado de não saber beijar, minha frieza por não saber me apegar...

- Verônica H.
sei que é meio idiota, mas gosto de pensar desse jeito, e se estou em pé no ônibus solto um pouco as mãos daquela barra de ferro para meu corpo balançar como se estivesse a bordo de um navio ou de você. fecho os olhos, faz tanto bem, você não sabe. suspiro tanto quando penso em você, chorar só choro às vezes, e é tão freqüente. caminho mais devagar, certo que na próxima esquina, quem sabe. não tenho tido muito tempo ultimamente, mas penso tanto em você que na hora de dormir vez em quando até sorrio e fico passando a ponta do meu dedo no lóbulo da sua orelha e repito repito em voz baixa te amo tanto dorme com os anjos. mas depois sou eu quem dorme e sonha, sonho com os anjos.

- Caio Fernando Abreu.

Depende de nós

eu sinto falta de um toque, de um abraço, de um cheiro. meu perfume já não cobre meus disfarces, meus sorrisos já não disfarçam minha vida. é tão doloroso olhar pela janela, andar pelas ruas, e fazer uma cara de "tá tudo bem", o que uma mentira não pode fazer com uma pessoa não é verdade. vou quebrar a barreira que existe entre eu e a felicidade, ninguém consegue ser tão triste assim eu acho, todo mundo tem um momento na vida que é feliz, existem pessoas que sorriem por um presente, por um abraço, até mesmo pela própria morte. talvez felicidade seja algo raro, então que comece a caça ao tesouro.

- Douglas Lenon
04 de março de 2010
quando a noite chegar cedo e a neve cobrir as ruas, ficarei o dia inteiro na cama pensando em dormir com você.

- Caio Fernando Abreu
você devia ter feito alguma coisa para me ter. ou me deter.
é fim de tarde. e, você sabe, eu te amava.

- Fernanda Young

quarta-feira, 3 de março de 2010


por enquanto a metamorfose de mim em mim mesma não faz nenhum sentido. é uma metamorfose em que perco tudo o que tinha, e o que tinha era eu - só tenho o que sou.

- Clarice Lispector.
caiu finalmente a minha ficha do quanto você é, tão e somente, um cara burro. e do quanto você jamais vai encontrar uma mulher que nem eu nesses lugares deprê em que procura. e do quanto a sua felicidade sem mim deve ser pouca pra você viver reafirmando o quanto é feliz sem mim e principalmente viver reafirmando isso pra mim. sabe o quê? eu vou para a cama todo dia com 5 livros e uma saudade imensa de você. ao invés de estar por aí caçando qualquer mala na rua pra te esquecer ou para me esquecer. porque eu me banco sozinha e eu me banco com um coração. e não me sinto fraca ou boba ou perdendo meu tempo por causa disso. e eu malho todo dia igual a essas suas amiguinhas de quem você tanto gosta, mas tenho algo que certamente você não encontra nelas: assunto.

- Tati Bernardi
dizem que a gente tem o que precisa. não o que a gente quer. tudo bem. eu não preciso de muito. eu não quero muito. eu quero mais. mais paz. mais saúde. mais dinheiro. mais poesia. mais verdade. mais harmonia. mais noites bem dormidas. mais noites em claro. mais eu. mais você. mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca. eu quero nós. mais nós. grudados. enrolados. amarrados. jogados no tapete da sala. nós que não atam nem desatam.

- Caio Fernando Abreu
há quase meio ano
que não te vejo vibrar com um gol
que não falas nada do trabalho
que não fazes um comentário positivo
ou negativo
faz muito tempo que não ouço tua opinião
sobre um casaco na vitrine
sobre um artigo de jornal
sobre a morte de um artista
se vai chover ou não
qual foi a última vez
que você lembrou de um aniversário
diga qual é todo o meu nome
atenda uma vez o telefone
comente a sujeira do chão
faça qualquer bobagem
para mostrar que ainda está vivo
que alguma coisa ainda faz sentido
e que não existe só a televisão
transmita o que você sente
comente o fim da novela
fale do absurdo da prestação
diga se gostou do meu vestido
brigue com o zelador
elogie o feijão com arroz
se você não está mais aqui
busque seu corpo então

- Martha Medeiros
prometeu eterno amor e com desenhos de coração, vez a vez me enganou, e eu que acreditava que as pessoas eram de valor, fui largado a qualquer canto. ♪

- Ramirez
Desenhos

Dissertação 32

meu nome é vida, mais pode me chamar de decepção.

- Douglas Lenon
03 de março de 2010
— o que você faz?
— eu não sei mais, agora que eu te conheci, eu não sei mais o que eu faço.

- Caio Fernando Abreu

terça-feira, 2 de março de 2010


tristeza é quando chove
quando está calor demais
quando o corpo dói
e os olhos pesam
tristeza é quando se dorme pouco
quando a voz sai fraca
quando as palavras cessam
e o corpo desobedece
tristeza é quando não se acha graça
quando não se sente fome
quando qualquer bobagem
nos faz chorar
tristeza é quando parece
que não vai acabar

- Martha Medeiros
mas a lição que eu aprendi no sábado é que não vale a pena consertar um carro pela décima vez. é mais fácil comprar um novo e fim de papo. afinal, eu bem que tentei consertar meu relacionamento com todas essas pessoas e só ganhei mais e mais poses e menos e menos verdades. ainda que doa deixar pessoas morrerem, se agarrar a elas é viver mal assombrado.

- Tati Bernardi
aquele cinzeiro de cobre
foi de brinde com os cristais
e as plantas que não regamos

coube tudo num caminhão de mudança
até a dor que não soubemos curar
mas que um dia vamos

- Martha Medeiros
meu irmão, a gente tem que descobrir maneiras — sejam quais forem — de ficarmos fortes.

- Caio Fernando Abreu

Dissertação 31

é não desistindo de mim, que me faz não desistir de você.

- Douglas Lenon
02 de março de 2010
foram exatos treze segundos
mais do que dura um orgasmo
menos que um comercial de tevê
"não posso mais viver com você
me apaixonei por outra mulher/pessoa"
você disse pausado, com a voz embargada
e levou treze segundos
para dizer duas frases
tivesse mais pressa ou menos remorso
teria sido mais rápido
mas você estava angustiado
e levou treze segundos
pra desocupar meu lugar
como quem desfaz um negócio
tivesse escrito uma carta
haveria de ser mais sutil
tivesse telefonado
seria obrigado a um olá e a um adeus
mas olhando nos olhos
e sem divórcio ou fiasco
mudaste em treze segundos meu estado civil
desarrumando a vida
que eu havia inventado

- Martha Medeiros
olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar de remar também.

- Caio Fernando Abreu.

segunda-feira, 1 de março de 2010


era verão ou qualquer troço assim
lua cheia ou algo parecido
uma saudade ou quase a mesma coisa
era amor ou mais ou menos isso

- Martha Medeiros
não, não estou desesperado, não mais do que sempre estive, nothing special, baby, não estou louco nem bêbado, estou é lúcido pra caralho e sei claramente que não tenho nenhuma saída.

- Caio Fernando Abreu
há pessoas que perdem o valor, o isqueiro
perdem o lugar, o sono, o poder
corrompem o amor, perdem sua vez
há mães que perdem seus filhos
então não há mais nada a perder

- Martha Medeiros
não vou perguntar porque você voltou, acho que nem mesmo você sabe, e se eu perguntasse você se sentiria obrigado a responder, e respondendo daria uma explicação que nem mesmo você sabe qual é. não há explicação, compreende? eu também não queria perguntar, pensei que só no silêncio fosse possível construir uma compreensão, mas não é, sei que não é, você também sabe, pelo menos por enquanto, talvez não se tenha ainda atingido o ponto em que um silêncio basta? é preciso encher o vazio de palavras, ainda que seja tudo incompreensão? só vou perguntar porque você se foi, se sabia que haveria uma distância, e que na distância a gente perde ou esquece tudo aquilo que construiu junto. e esquece sabendo que está esquecendo.

- Caio Fernando Abreu.
no começo eu prestava atenção
em todas as palavras que você ia me dizendo
me custava muito acreditar que aquilo tudo
estava acontecendo
eu sentia que você não queria me magoar
escolhia cada letra e cada pausa e desviava o olhar
nas horas em que era inevitável dizer o que pretendia

você pretendia me deixar, deixava claro
que juntos fomos ótimos parceiros mas que de agora em diante
era cada um para o seu lado, e apesar da saudade
era assim que tinha que ser
você não respondeu minhas perguntas, foi evasivo, gaguejou
fugiu do assunto várias vezes e quando voltava era pra repetir:
não dá mais

não dá mais, não posso mais,
não vou deixar você tirar minha paz, eu concordo
aceito, assino a separação, não vou fazer escândalo
e quando eu te encontrar com essa que tomou o meu lugar
(é evidente, não venha negar), vou ser civilizada
não vou quebrar os pratos nem te constranger
você não vai me reconhecer, não vai mais me proteger
não vai mais me amar, não vai mais telefonar,
não vai mais aparecer. não vai mais dizer meu nome,
não, eu agora já não estou te ouvindo mais

- Martha Medeiros

Palavras ao vento

duro é saber que eu escrevia pra ninguém, que um rosto me inspirava a escrever para um outro rosto que eu nunca vi, que eu não sei se existe. triste é aceitar que todas as palavras que eu usei foram para o vento, seguiram um rumo, talvez estejam na Flórida, na Austrália, certeza é que as palavras não estão aqui, na verdade nunca estiveram aqui. eu queria ver a face dos meus textos, machuca saber que eles possuem mascaras, que são tiradas uma a uma, e não se sobra nada, ah não ser apenas algo inanimado, sem explicação, minhas palavras não tem rosto.

- Douglas Lenon
01 de março de 2010