segunda-feira, 1 de março de 2010

no começo eu prestava atenção
em todas as palavras que você ia me dizendo
me custava muito acreditar que aquilo tudo
estava acontecendo
eu sentia que você não queria me magoar
escolhia cada letra e cada pausa e desviava o olhar
nas horas em que era inevitável dizer o que pretendia

você pretendia me deixar, deixava claro
que juntos fomos ótimos parceiros mas que de agora em diante
era cada um para o seu lado, e apesar da saudade
era assim que tinha que ser
você não respondeu minhas perguntas, foi evasivo, gaguejou
fugiu do assunto várias vezes e quando voltava era pra repetir:
não dá mais

não dá mais, não posso mais,
não vou deixar você tirar minha paz, eu concordo
aceito, assino a separação, não vou fazer escândalo
e quando eu te encontrar com essa que tomou o meu lugar
(é evidente, não venha negar), vou ser civilizada
não vou quebrar os pratos nem te constranger
você não vai me reconhecer, não vai mais me proteger
não vai mais me amar, não vai mais telefonar,
não vai mais aparecer. não vai mais dizer meu nome,
não, eu agora já não estou te ouvindo mais

- Martha Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário