segunda-feira, 31 de maio de 2010

devolvo o corpo que pedi emprestado pra me carregar nos ombros e agora deixo você ir, meio de saco cheio dessa saudade.

- Gabito Nunes in Saco cheio de saudade

domingo, 30 de maio de 2010

Dia 5 - Citação favorita

é difícil escolher uma citação a qual eu gosto mais, mas eu me identifico tanto com o que eu queria dizer, com o que eu queria fazer, com o que eu queria desejar, que eu fico assim, quieto, sem se mexer, sem sonhar. mas tenho medo da solidão, e vou transmitindo em pensamento pra quem possa captar todo o meu amor, meu rancor, meus sentidos.
"mas você tem que remar também. eu desisto fácil, você sabe. e talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir. perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo. mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. eu te ensino a nadar, juro! mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças! você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena. que por você vale a pena. que por nós vale a pena. remar. re-amar. amar." Caio Fernando Abreu
fala fala fala. estou muito cansado. já não identifico nenhuma palavra no que diz. apenas me deixo embalar pelo ritmo de sua voz, dentro dessa melodia monótona angustiada perplexa repetitiva. quase três da manhã. não temos aonde ir, nunca tivemos aonde ir. um nojo, vezenquando me dá um asco — nojo é culpa, nojo é moral — você se sente sórdido, baby? — eu tenho medo, não quero correr riscos — mas agora só existe um jeito e esse jeito é correr o risco — não é mais possível — vamos parar por aqui — quero acordar cedo, fazer cooper no parque, parar de beber, parar de fumar, parar de sentir — estou muito cansado — não faz assim, não diz assim — é muito pouco — não vai dar certo — anormal, eu tenho medo — medo é culpa, medo é moral — não vê que é isso que eles querem que você sinta? medo, culpa, vergonha — eu aceito, eu me contento com pouco — eu não aceito nada nem me contento com pouco — eu quero muito, eu quero mais, eu quero tudo.

- Caio Fernando Abreu

sábado, 29 de maio de 2010

Assim, de mão beijada, não


depois de tudo, de todos os anticorpos que eu criei pra me defender desses golpes de amores baixos, de todas as armas que eu aperfeiçoei em mim pra cada batalha dessa guerra sem fim. depois de eu ter levantado a bandeira branca, você quer vim pra mim. me faz pensar que tudo que eu fiz foi em vão, que mais cedo ou mais tarde você viria até mim. mas assim eu não quero, eu batalhei demais pra chegar até aqui, desistir, e você se entregar na frente da minha derrota. eu queria você demais, mais-que-o-demais. e você vem a mim com essa cara de prêmio de consolação. e deixo claro que eu não batalhei o tempo todo por um prêmio desse porte.
então vai, me deixa aqui pelo amor de Deus, dessa vez vai sem qualquer pedaço meu. vai chorar em outros ombros, que esse meu aqui tá meio molhado demais. vai se encontrar e volta pra mim em você, eu não quero anything sua, eu quero everything seu. não, hoje em dia não dá pra se contentar com pouco, pro muito que eu tenho pra oferecer.

- Douglas Lenon
29 de maio de 2010

sexta-feira, 28 de maio de 2010

o que se diz numa hora dessas? quais palavras vão conseguir escapar a essa areia movediça? existe ainda algo a ser dito quando amar vira de novo puro verbo? a quantas conversas francas resiste um relacionamento?

- Fernanda Young

quinta-feira, 27 de maio de 2010

ainda existe ir embora. mas da onde? eu sempre querendo ir embora. mas pra onde? quero um colo e um quente e um ombro que nunca conheci. não é de homem, de amor, de força. o que é isso? um enjoado que não faz passar mal. um frio que não precisa de agasalho. uma necessidade absurda de ir para um lugar que eu nem imagino qual seja. uma saudade de vida inteira como se eu já tivesse vivido. (...) escuto os outros e enquanto isso acontecer, não vai passar.

- Tati Bernardi
tô precisando ser diferente, cada vez mais descubro que ser eu não tem nada a ver comigo.

- Verônica H.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

assassinato o mais profundo: aquele que é um modo de relação, que é um modo de um ser existir o outro ser, um modo de nos vermos e nos sermos e nos termos, assassinato onde não há vítima nem algoz, mas uma ligação de ferocidade mútua.

- Clarice Lispector.

terça-feira, 25 de maio de 2010

o cheiro do teu corpo persiste no meu durante dias. não tomo banho. guardo, preservo, cheiro o cheiro do teu cheiro grudado no meu. e basta fechar os olhos para naufragar outra vez e cada vez mais fundo na tua boca. abismos marinhos, sargaços. minhas mãos escorrem pelo teu peito. gramados batidos de sol, poços claros. alguma coisa então pára, todas as coisas param. os automóveis nas ruas, os relógios nas paredes, as pessoas nas casas, as estrelas que não conseguimos ver aqui do fundo da cidade escura. olho no poço do teu olho escuro, meia-noite em ponto. quero fazer um feitiço para que nada mais volte a andar. quero ficar assim, no parado. sei com medo que o que trouxe você aqui foi esse meu jeito de ir vivendo como quem pula poças de lama, sem cair nelas, mas sei que agora esse jeito se despedaça. torre fulminada, o inabalável vacila quando começa a brotar de mim isso que não está completo sem o outro. você assopra na minha testa. sou só poeira, me espalho em grãos invisíveis pelos quatro cantos do quarto. fico noite, fico dia. fico farpa, sede, garra, prego. fico tosco e você se assusta com minha boca faminta voraz desdentada de moleque mendigo pedindo esmola neste cruzamento onde viemos dar.

- Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Dissertação 55

não da pra dar vida pelo que morre o tempo todo, posso te curar, cuidar de você, mas não posso te ressuscitar a cada segundo que passa, a cada tropeço seu.

- Douglas Lenon
24 de maio de 2010

quando tinha 7 anos, cai da bicicleta. lembra? estavámos no vinhedo, não só cai. fomos na ladeira, meu pneu se soltou, segurei no guidão e machuquei o rosto todo. lembra? estavámos longe de casa, e você me pegou. disse que ia ficar bem, e me levou até em casa. não era tão grande assim. mas era meu irmãozão. e sabia que eu estava assustada, e me levou pra casa. quem vai me levar pra casa se você morrer?

- Private Practice
2ª temporada, episódio 15
há temporadas em que sofro, sofro, sofro. quanto até vejo a beleza e crio, tornando-me menos ruim; mas então queria que América estivesse aqui para presenciar isso. na casa onde moro. onde exponho à visitação as coisas que consegui recolher pelos anos. onde tenho, por decisão de projeto, uma janela só para se ver a lua. e todos os livros que eu escrevi. essas imensas janelas pelas quais revelo minha parca luz de luar. queria que ela visse tudo isso, e visse como eu vejo. como vi, muitas vezes, no céu, pois sou capaz de infinitos instantes de pura contemplação. durante os quais acredito que ela aponta seus olhos para a mesma estrela que eu. e busco a mais longínqua lembrança dela; a maneira como a conheci, seus incríveis cabelos grossos e negros. suas frases, todas as que elas me disse, e todas as que eu gostaria de ter para ela, mas não disse. por isso afirmo: sou, por culpa dela, o escritor que sou e por causa dela o infeliz que me tornei. uma vez que acabei o que acabei para curar-me dela. pretendo, porém, esgotar toda essa angústia, antes de encontrá-la. ofereço em troca, para que essa pretensão seja possível, o conteúdo do meu espírito neste instante. essa energia esparsa e estranha, só agora descrita, que toma conta de uma pessoa, quando ela aguarda uma inteira maioridade para rever a pessoa amada.

- Fernanda Young in Aritmética

domingo, 23 de maio de 2010

nunca me conformei com o fim de nada. por mais que eu sentisse que era a hora. por mais que eu quisesse ou precisasse me livrar das coisas. o “acabou” sempre chega ou chegou como se eu jamais tivesse parado pra pensar nele. cruel, terrível e doloroso além de mim.

- Tati Bernardi
é que tudo isso é muito novo pra mim. dividir medos. dividir soluções pros meus medos. eu nunca fiz isso. quando alguma coisa tá errada eu arrumo um jeito de conviver com isso sem atrapalhar ninguém. mas daí chega você e quer consertar o que tá errado. isso é lindo, mas eu tenho medo de não saber lidar com as coisas do jeito que elas são. fora da realidade que eu criei.

- Verônica H.
eu digo o que condiz, eu gosto é do estrago. ♪

- Los Hermanos
O velho e o moço

sábado, 22 de maio de 2010

quem leva em conta se o cara abre a boca e ninguém vomita pelo ouvido, se ele sabe falar de globalização, sentimentos, besteiras e é astronomicamente engraçado sem precisar de piadas de pum, pau e papagaio? que menina sonha com um moço educado, que telefona pra ela, pega em casa, e trata bem o garçom, o flanelinha e o dono do restaurante? quem quer um rapaz que fica 22 minutos pensando no melhor sms pra mandar só pra ela e nenhuma mais?

- Gabito Nunes in Por que não eu?
o senhor pode conferir. eu fiz tudo certo, só errei quando coloquei sentimento. só fiz bobagens e me dei mal quando ouvi este louco coração de criança que insiste em não endurecer e se recusa a envelhecer.

- Clarice Lispector

sexta-feira, 21 de maio de 2010


corre, corre. o número do telefone dissolvendo-se em tinta na palma da mão suada. ah, no fim destes dias crispados de início de primavera, entre os engarrafamentos de trânsito, as pessoas enlouquecidas e a paranoia à solta pela cidade, no fim destes dias encontrar você que me sorri, que me abre os braços, que me abençoa e passa a mão na minha cara marcada, no que resta de cabelos na minha cabeça confusa, que me olha no olho e me permite mergulhar no fundo quente da curva do teu ombro. mergulho no cheiro que não defino, você me embala dentro dos seus braços, você cobre com a boca meus ouvidos entupidos de buzinas, versos interrompidos, escapamentos abertos, tilintar de telefones, máquinas de escrever, ruídos eletrônicos, britadeiras de concreto, e você me beija e você me aperta e você me leva para Creta, Mikonos, Rodes, Patmos, Delos, e você me aquieta repetindo que está tudo bem, tudo, tudo bem. o telefone toca três vezes. isto é uma gravação deixe seu nome e telefone depois do bip que eu ligo assim que puder, ok?

- Caio Fernando Abreu
sempre querem mulheres festivas e subjugadas. efusivas e caladas. dadas e reservadas. o Brasil é macho, muito macho. é o pau-brasil, o bumba-meu-boi, o saci pererê, o berimbau, o futebol e o caralho a quatro. e as meninas brasileiras são criadas para seguirem em frente sem perceber o quanto são ridicularizadas. tomar na bunda sorrindo. metáfora forte demais? não, nem é metáfora.

- Fernanda Young.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

eu sei que sou exatamente o que 98% dos homens não gosta ou não sabe gostar: eu falo o que penso, abro as portas da minha casa, da minha vida, da minha alma, dos meus medos. mas eles adoram uma sonsa. adoram. mas dane-se. um dia um louco, direto do planeta dos 2% de homens, vai aparecer.

- Tati Bernardi

quarta-feira, 19 de maio de 2010

E se o vento parar de soprar

eu sei o que falta, sempre soube mas sempre tento contornar a situação pra não chegar exatamente onde eu sei que as pessoas querem que eu chegue. a palavra chave é amor próprio que eu insisto dizer que existe para as pessoas, mas que pra mim tá em falta por vontade minha mesmo. às vezes tenho amor demais, às vezes tenho amor de menos, e isso é um contra pra mim. porque ou toca ou não toca não é? acho que por andar sempre errado, que tento acertar vezenquando, não sei a hora exata de parar, eu ando sem freios, sem hora pra chegar, sem rumo.
não tenho amor próprio justo porque tenho medo de me amar demais a ponto de que esse amor se esgote e não sobre amor pra oferecer a outro alguém. e re-digo não tenho amor próprio por medo de ter amor e não precisar de mais, de muito mais. sou contrário a lógica, prefiro doar o que posso de amor, pra deixar um espaço vago pra que possam me amar, não estou dizendo que eu não me amo, que não me valorizo, eu só espero dar amor e receber amor em troca.
porque se ficarmos nos fechando, nos amando demais, perdemos o mundo lá fora, que grita, que nos chama a cada segundo que passa, e se nos amarmos demais depois quando partirmos dessa pra melhor, pra onde esse amor vai? e se nos reservarmos demais, onde realmente você quer chegar? e se o vento parar se soprar...

- Douglas Lenon
19 de maio de 2010
como se lutássemos — só nós dois, sós os dois, sóis os dois — contra dois mil anos amontoados de mentiras e misérias, assassinatos e proibições. dois mil anos de lama, meu amigo. esse lixo atapetando as ruas que suportam nossos passos que nunca tiveram aonde ir.

- Caio Fernando Abreu

terça-feira, 18 de maio de 2010

Dissertação 54

até parece que eu não moro aqui, que eu vim de longe, do lugar onde as pessoas seguram nas mãos das outras pessoas e telepaticamente mandam uma mensagem dizendo algo como: estou aqui com você, não importa o que acontecer, ou deixar de acontecer. preciso me acostumar com os costumes desse lugar novo.

- Douglas Lenon
18 de maio de 2010
você sabia melhor que eu do que eu precisava. eu não sabia que você fazia meu tipo. antes de você, eu nem sabia que eu tinha um tipo. eu não sabia que eu gostava de beijo longo e proteção. não sabia sorrir tímida sem me sentir pequena demais, estranha demais.

- Verônica H.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Doença individual


quando a respiração vai começando a ficar assim meio pesada, eu começo a sentir que tudo tem seu tempo, e que infelizmente todo tempo é pouco. tenho tantas pessoas junto à mim, e tantas "não pessoas" também que vez ou outra me perco, e, acabo achando que não tenho ninguém. no final do dia todo mundo tem com quem compartilhar alguma coisa, eu compartilho comigo, todo mundo tem uma novidade, dizer que uma estrela nova acabou de nascer, eu conto meus segredos pra mim mesmo. parece que ninguém no mundo entende como é viver assim, ninguém no mundo consegue sentir a dor que só você mesmo sente. se essa dor fosse de qualquer outra pessoa, acho que ela não aguentaria, desistiria e fim, não consigo imaginar qualquer outra possibilidade de cura pra essa doença de único ser, que é carregar uma dor individual, nem mesmo a ciência explica o que é a dor que cada ser humano trás consigo.
se conseguiu ler até aqui, eu espero que você tenha a quem contar seus segredos, a quem compartilhar suas conquistas, eu ando meio assustado, esse medo de morrer sozinho me assombra a cada dia que passa, medo de morrer e ninguém notar que você morreu, e ninguém falar que você foi um cara legal, que você vivia de bem com a vida, medo de morrer sem ser notado, medo de morrer e não perceber que morri, que quando der por mim, já estou ali — quebrado, levado, morto, medo de me abraçar pra não morrer de frio. não precisa ser super herói pra acabar com esse meu medo — ou nosso medo, eu só preciso que você faça algo por mim, que se não foi na vida, que seja na morte.

- Douglas Lenon
17 de maio de 2010
eu nunca mais quero ouvir que você só tem olhos pra mim, ok? e nem o quanto você é bom filho. muito menos o quanto você ama crianças. e trate de parar com essa mania horrível de largar seus amigos quando eu ligo. colabora, pô. tá tão fácil me ganhar, basta fazer tudo pra me perder.

- Tati Bernardi

domingo, 16 de maio de 2010

pensei em você. eram exatamente três da tarde quando pensei em você. sei porque sacudi a cabeça como se você fosse uma tontura dentro dela e olhei o digital no meio da avenida.

- Caio Fernando Abreu
num dia que, de tão esperado, agora se aproxima rápido demais, empolgando-me e matando-me de tédio ao mesmo tempo. fazendo de mim uma espécie de ansioso desiludido, que acorda cedinho e depois faz hora até poder dormir de novo. que vai correndo esbaforido já querendo não ter ido.

- Fernanda Young in Aritmética

sábado, 15 de maio de 2010

e lá vem ele dizer que meu cabelo sujo tem cheiro bom. e que já que eu não liguei e não atendi, ele foi dormir. e que segurar minha mão já basta. e que ele quer conhecer minha mãe. e que viajar sem mim é um final de semana nulo. e que tudo bem se eu só quiser ficar lendo e não abrir a boca. com tanto potencial pra acabar com a minha vida, sabe o que ele quer? me fazer feliz.

- Tati Bernardi
o problema é ficar completamente no escuro. você ficou incomunicável e esqueceu de deixar um manual de instruções sobre como viver sozinha depois de te conhecer.

- Verônica H.
não me prendo a nada que me defina. sou companhia, mas posso ser solidão. tranquilidade e inconstância, pedra e coração. sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. música alta e silêncio. serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. não me limito, não sou cruel comigo! serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer.

- Clarice Lispector.

Que seja bom pra mim


desculpa se eu preciso tanto de você, não aqui comigo, mas do outro lado, eu nem sei porque eu estou triste, te falo de coração, não sei porque me dói tanto querer você só do outro lado. eu não sou forte o bastante pra nós dois, é muito pra mim — demais pra mim. só quero um carinho longe, quero uma preocupação amena, um toque bonito.
desejo demais que você seja feliz, e canto, canto uma música que a gente nem costuma ouvir direito nessas radios modernas de hoje em dia, "desejo que você tenha a quem amar, e quando estiver bem cansado, ainda exista amor pra recomeçar" e eu canto pra mim, "eu procuro um amor que ainda não encontrei, diferente de todos que amei", Frejat é um cara que sabe cantar, é só isso que eu tenho pra dizer. uma coisa eu te prometo, as feridas dessa vida vão sumir, não vão nem ter tempo de cicatrizar, e eu espero que um dia você respire alguém, da mesma forma que eu quero tanto respirar.

- Douglas Lenon
15 de maio de 2010

sexta-feira, 14 de maio de 2010

— papaizão sempre dizia que câncer é passado vindo pro presente.

- Private Practice
2ª temporada, episódio 12
não diz nada, você não diz nada. apenas olha para mim, sorri. quanto tempo dura? faz pouco despencou uma estrela e fizemos, ao mesmo tempo e em silêncio, um pedido, dois pedidos. pedi para saber tocá-lo. você não me conta seus desejos. sorri com os olhos, com a mesma boca que mais tarde, um dia, depois daqui, poderá me dizer: não. há uma espécie de heroísmo então quando estendo o braço, alongo as mãos, abro os dedos e brota. toco. perto da minha a boca se entreabre lenta, úmida, cigarro, chiclete, conhaque, vermelha, os dentes se chocam, leve ruído, as línguas se misturam. naufrago em tua boca, esqueço, mastigo tua saliva, afundo. escuridão e umidade, calor rijo do teu corpo contra a minha coxa, calor rijo do meu corpo contra a tua coxa. amanhã não sei, não sabemos.

- Caio Fernando Abreu
essa saudade branca, que faz a gente perceber que certas pessoas simplesmente valem o esforço de lembrar. avante. é porque gosto de sentir saudade que ando sempre para frente.

- Gabito Nunes in Saco cheio de saudade

quinta-feira, 13 de maio de 2010

eu estou tão cansada de assustar as pessoas. e de ser o máximo por tão pouco tempo. e de entregar tanta alma de bandeja pra tanta gente que não quer ou não sabe querer. mas hoje eu não odeio nenhuma dessas pessoas. e hoje eu não me odeio. hoje eu só fecho os olhos e lembro de você me pedindo sem graça para eu não deixar ninguém ocupar o lugar da minha canga. tudo o que eu mais queria, por trás de todos esses meus textos tão modernos, sarcásticos e malandros, era de alguém que me pedisse para guardar o lugar. tá guardado. o da canga e de todo o resto.

- Tati Bernardi

Dissertação 53

eu só queria que você entendesse que meu medo não é você me machucar mais, meu medo é estar te esquecendo, sem querer, sem querer te esquecer, sem querer.

- Douglas Lenon
13 de maio de 2010
parecia que o grande lance era estar o tempo todo com você, mas às vezes eu sentia uma falta imensa de outro alguém, e a liberdade de escolha pode interferir na liberdade de escolher, eu não tava realmente me sentindo muito bem. ♪

- Detonautas
O bem e o mal

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Dia 4 - Filme Favorito

aaah não existe filme mais perfeito que esse, haha. ah o Oliver *-* mas conhecido como Ashton Kutcher — divo dos divos diga-se de passagem — e Emily (Amanda Peet) se conhecem em um vôo que cruza os Estados Unidos. ele é um recém-formado que procura seguir um cronograma rígido para sua vida, de forma que consiga alcançar o sucesso profissional o mais rapidamente possível e também encontrar o amor de sua vida. já ela é espontânea e indisciplinada, do tipo que prefere ver aonde a vida leva ao invés de fazer planos para o futuro. Oliver e Emily imediatamente sentem atração um pelo outro, mas as características de ambos são incompatíveis. durante os 7 anos seguintes eles se encontram periodicamente, mas tudo parece conspirar para que eles sempre estejam separados. e então é um vai-vem do amor, me espelho demais no filme, sem dizer na trilha sonora que é ótima. pra mim o melhor filme é De repente é amor.

my heart was broke my head was sore, what a feeling ♪ Aqualung - Brigther than sunshine
sei tudo sobre mim, ou tudo o que dá para saber sobre mim, já que penso só em mim há vários anos, e posso testemunhar que, se falo de mim tanto assim é porque, apesar de cínico, sou covarde.

- Fernanda Young in Aritmética
despojado do que já não há
solto no vazio do que ainda não veio,
minha boca cantará
cantos de alívio pelo que se foi,
cantos de espera pelo que há de vir.

- Caio Fernando Abreu

terça-feira, 11 de maio de 2010

ouse, arrisque não desista jamais e saiba valorizar quem te ama, esses sim merecem seu respeito. quanto ao resto, bom, ninguém nunca precisou de restos para ser feliz.

- Clarice Lispector.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

admito, Sara. por isso eu escrevo, pra te encontrar. encontrar a outra metade da minha homeostase perfeita, a poesia da filosofia, o sentido da psicanálise, o propósito da biologia, pra comemorar a perpetuação da espécie lambendo o hálito agridoce do seu tocante mais particular com toda a vontade máscula da terra. fiz todos esses textos bonitinhos pra ver se você me devolve pro lado quente da vida. escrevo pra ver se você volta e me sara.

- Gabito Nunes in Me sara
mas agora era diferente. era saudade ao lado, falta ao vivo, era o medo da perda. era a perda ao lado, ao vivo.

- Verônica H.

Não há mais ninguém como você e eu

como nosso amor consegue ser mais forte que tudo nesse mundo, parece até estranho, fico olhando outros casais se dilacerando, eles não são com nós, e talvez foram um dia, o que me dá medo porque eu não quero te perder assim, não dessa forma. eu batalhei tanto por você, que te ter agora é tão mais gostoso, e tão mais fácil levar a vida assim. uma coisa que a gente vive falando é sobre esses casais que dão "um tempo", fala sério "um tempo", tempo é nada mais nada menos que o amor que acabou de uma forma mais limpa, prefiro um não do que um tempo. o tempo é sinônimo de ilusão que tudo vai voltar a ser como antes, que as pessoas vão criar vergonha e vai voltar tudo como sempre, não se engane por favor, o tempo é forma mais cruel de se terminar tudo, ele te da esperanças todas as manhãs, e tira elas todo fim de tarde.
meu amor, eu gosto tanto da tua presença, que quando você vai embora eu passo a mão em tudo que você encostou, nos meus braços, na minha pele, na minha boca, no corrimão da escada, no trinco da porta, fico com medo até de perde minhas digitais e ganhar as suas, sermos um só de um modo esquisito, e tão lindo ao mesmo tempo.
lembro de quando você disse pra mim que não sabia abraçar, que não sabia como era abraçar, eu sei que é tosco da minha parte, mas se caso um dia — uma noite, um tempo — você disser que acabou, lembra que eu te ensinei como abraçar alguém. você tirava de mim tudo de mal e não sei como conseguia viver com todo aquele mal dentro de você, de coração pra coração, porque a cada abraço que você me dava, eu ainda tinha tristezas pra me desfazer e você sempre às recebia. não se esqueça que a cada abraço de amor que você me dava, eu sussurrava um eu te amo no seu ouvido.

- Douglas Lenon
10 de maio de 2010

domingo, 9 de maio de 2010

Dissertação 52


e se hoje o sol não sair, eu me prometo a você.

- Douglas Lenon
08 de maio de 2010
e você jura que eu não estou nem aí pra você. melhor assim. dessa vez quero fazer tudo certo. chega de fazer tudo errado. e eu te espio da janela, indo embora. e quero berrar o quanto gosto de você. e te pedir em namoro. e rasgar sua roupa. e te comer. e dormir enroscada no seu cabelo.

- Tati Bernardi
mas continuo
ali.
aqueles espaços
permanecem tão mortos de mim
como um corpo que se ama
e não se toca.

- Caio Fernando Abreu

sábado, 8 de maio de 2010

— meu amor pelo mundo é assim: eu perdôo as pessoas terem um nariz mal feito ou terem lábios finos demais e serem feias — todo erro dos outros e nos outros é uma oportunidade para mim de amar.

- Clarice Lispector
tem gente que sabe o que eu estou falando. agora, agora-agora, agorinha, tem gente que sabe o que eu estou, caralho, falando. é, é o meu momento, mas tem gente que também sente exatamente isso. essa euforia de achar-se o único a sofrer no mundo. aquele que mais se comisera, que mais sabe que está fodido, aquele que sofre de um jeito sofrido que ninguém mais sofre. e isso, que seria egoísmo, no sofrimento torna-se altruísmo. a generosidade de ser o absoluto desgraçado do planeta, liberando o resto da humanidade para ser mais feliz do que você. eu sou essa absoluta desgraçada. e estou desgraçadamente acompanhada por milhões de outras pessoas que escreveram cartas jamais enviadas, que destruíram cartas jamais abertas, que juraram que ficariam para sempre com você onde quer que você fosse, para todo o sempre, e se você saísse por aí, ela iria junto, e se você fosse para Marrocos, ela iria também, e se você não andasse ela carregaria você nos braços. sou uma desgraçada tao desgraçada que crê em tudo isso, agora e até o fim, sozinha com o mundo inteiro ao meu lado.

- Fernanda Young

sexta-feira, 7 de maio de 2010

também dói se poupar por medo e depois notar se dando de graça pra tantas outras pessoas, sabia? torço por alguém que chegue e diga que não busca encontro, amor e completude, pra eu saber como é isso.

- Gabito Nunes in Me sara

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Seu pequeno

que tudo se exploda mesmo, é tentando agradar que eu me afundo mais, tentando ajudar que eu recebo patada seguida de patada. então vou estar nem aí, talvez resolva alguma coisa, talvez não resolva nada. mas preciso tentar, acho que pra mim ganharia um prêmio por ser o verbo da semana: TENTAR. eu estou tentando seguir sem uma terceira perna, eu estou tentando me livrar daquilo que já não me completa mais, eu estou tentando viver longe do meu querer.
eu revolucionei dessa forma, porque eu chegava em casa, pegava uma folha, qualquer coisa que pudesse ser rasgada e começava a arrancar tudo, um bem-me-quer da nova geração. e sentado rasgando cada pedaço de folha me faz lembrar de como era bom ser criança, fazer um bem-me-quer para algo qualquer, que entre crianças existe apenas amizades, que só construimos coisas boas quando criança, queria sentar em um balanço e ficar por horas lá balançando vendo o tempo passar e não ter pressa alguma de voltar pra casa. não ter sede nenhuma de pessoas qualquer.
mas eu sou um pseudo-adulto que às vezes você chama de meu pequeno, e eu gosto tanto, me chama assim só pra você me sentir no teu campo, que dentro de você, você dita as regras, se é assim, se eu sou seu pequeno, eu ainda sou uma criança, quando eu errar não me olhe com cara feia, apenas fale comigo, eu vou te entender, você vai me abraçar, porque eu estou aprendendo ainda, e você vai continuar me ensinando, dizendo que crianças erram, mas é sem querer meu pequeno.

- Douglas Lenon
06 de maio de 2010

eu quero que você grite dentro da minha cabeça que não precisamos disso e que, por alguma razão, quando a gente se afasta a dor é maior do que todo o mundo que nos espera.

- Tati Bernardi
mas o meu estar parado
era maior do que eu.
estar parado/estar vivo:
a mesma incompreensão
e medo
entre mim e aquele estar das coisas.

estar ali
como nunca ter chegado.
estar ali
como ter visto absolutamente tudo.
estar ali
por estar ali.
e além de mim
o que eu não ousava.

- Caio Fernando Abreu

quarta-feira, 5 de maio de 2010

eu ando tão cansada de seguir as regras. ando tentando mudar as regras. eu sei que o que acomoda não é fácil de mudar, mas alguém um dia tem que dizer chega, né? pras coisas mudarem, o mundo girar. tanta engrenagem e tão pouco suor.

- Verônica H.

Eu não espero nada de você

porque hoje, hoje eu queria dizer o quanto eu me orgulho de mim, justamente porque não preciso passar por cima de ninguém pra chegar onde eu quero chegar, porque não preciso humilhar ninguém pra acabar com o meu sufoco.
trago comigo felicidade, que entre todas as coisas que eu possuo é o que eu mais gosto de proporcionar para as pessoas que estão junto à mim. não, eu não preciso mostrar que sou melhor que qualquer outra pessoa pra ganhar status, eu te dou o meu "eu" mesmo sabendo que você não vai me entregar "você".

- Douglas Lenon
05 de maio de 2010

terça-feira, 4 de maio de 2010

minha vida é mais usada pela terra do que por mim, sou tão maior do que aquilo que eu chamava de “eu” que, somente tendo a vida do mundo, eu me teria.

- Clarice Lispector

segunda-feira, 3 de maio de 2010

no âmago, a culpa é sua. eu escrevo porque não sinto, porque não amo, porque meu peito tomou um soco no primeiro round e ainda tonteia 467 relacionamentos depois. escrevo pra me sentir menos integrante de um planeta onde ser normal é arquitetar meios de dizimação em massa, onde amor não passa de homeostase¹. escrevo pra me vingar de todas as pessoas como você, que sufocam toda manifestação de completude.

- Gabito Nunes in Me sara
_________________________________________________________
¹seres vivos especialmente, de regular o seu ambiente interno para manter uma condição estável

eu só aceito a condição de ter você só pra mim. ♪

- Los Hermanos
Sentimental

domingo, 2 de maio de 2010

Dissertação 51

você ainda diz que eu minto quando digo que sinto sua falta a cada 60 segundos que passam durante cada minuto da nossa vida.

- Douglas Lenon
02 de maio de 2010
a noite ultrapassou a si mesma, encontrou a madrugada, se desfez em manhã, em dia claro, em tarde verde, em anoitecer e em noite outra vez. fiquei. você sabe que eu fiquei. e que ficaria até o fim, até o fundo. que aceitei a queda, que aceitei a morte. que nessa aceitação, caí. que nessa queda, morri. tenho me carregado tão perdido e pesado pelos dias afora. e ninguém vê que estou morto.

- Caio Fernando Abreu

sábado, 1 de maio de 2010

esse medo de cair é recente. veio acompanhado da alegria momentânea que você causou, mas ficou mesmo foi por causa da distância.
é difícil não tropeçar quando todos os rostos na rua são o seu. é difícil quando sua voz me chama de todos os lados. é difícil te esquecer querendo você em todos os outros.

- Verônica H.
eu não sei esperar nada. e a natureza gritando no meu ouvido que então, já que sou birrenta, vou ficar sem nada mesmo. porque é preciso saber viver. atiram a gente nesse mundo, nosso coração sente um monte de coisa desordenada, nosso cérebro pensa um monte de absurdo. e a gente ainda precisa ser super-equilibrada para ganhar alguma coisa da vida. como se só por estar aqui, aturando tanta maluquice, a gente já não devesse ganhar aí um desconto para também ser louco de vez em quando.

- Tati Bernardi
e a respiração contínua do mundo é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio.

- Clarice Lispector