terça-feira, 17 de agosto de 2010

Na ausência de quem pensar


"vamos deixar acontecer", você sempre dizia. e eu deixei.
Gabito Nunes

exatamente o que aconteceu com nós, eu deixei acontecer, e foi acontecendo, agora nem acontece mais. eu gosto de você, demais, eu gosto de você como uma mulher de 25 anos gosta de um cara de 28 anos, digo assim porque pelo ponto de vista da sociedade, esse parece sim um amor pra vida toda, ninguém repara nos amores de 18 anos, todo mundo diz que é passageiro, passageiro somos nós nessa vida, eu gosto de você como um garoto de 17 anos gosta de um outro de quase 23 anos.
não invoco a palavra amar, porque amar, amar é demais, quem na sua adolescência consegue amar alguém? eu. eu ainda insisto no gostar, porque se eu amar você, você foge. não é amor você esperar alguém por mais de um ano, não é amor você querer ver o teu amor feliz por mais que isso custe o teu viver, não é amor você querer arrancar a própria cabeça pra tentar parar de pensar por pelo menos cinco minutos que forem, se não for eu não sei do que as pessoas estão falando, parece amor demais, eu quero amar como uma pessoa de 17 anos ama, e não como um pessoa de 20. eu quero amar sem me machucar, sem ter que esperar, sem ter que deixar acontecer, pra passar tempos desacontecendo.
na ausência de quem pensar, eu acabo pensando em você. eu acabo sem querer pensando em você. nada foi progamado, eu fui deixando levar, fui me deixando levar, e cheguei aqui, onde eu não te culpo pelas coisas que acontecem comigo, e que eu penso sim em você, e que enquanto não aparecer ninguém em quem eu possa pensar, eu vou pensando em você.

- Douglas Lenon
17 de agosto de 2010

Um comentário: