sábado, 30 de outubro de 2010

coloquei as mãos por trás da cabeça e deitei de costas, tentando me agarrar às lembranças de que tinha da minha família. seus rostos pareciam estar em um lugar distante da minha mente, e para chegar até eles eu tinha que trazer à tona lembranças dolorosas. tinha saudade das mãos compridas, escuras e brilhantes da minha avó; do abraço apertado da minha mãe, quando eu a visitava, como se estivesse me escondendo e protegendo de alguma coisa; da risada do meu pai quando jogávamos futebol juntos ou quando ele me perseguia à noite com um balde d'água para me obrigar a tomar banho; dos braços do meu irmão mais velho em volta de mim quando caminhávamos para a escola e quando ele me dava uma cotovelada de leve para me impedir de dizer coisas de que eu me arrependeria; e de meu irmãozinho, que se parecia muito comigo e que às vezes, quando fazia alguma coisa errada, dizia para as pessoas que seu nome era Ishmael.

- Ishmael Beah in Muito longe de casa

Nenhum comentário:

Postar um comentário