quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Desaniversário


Lebre: Aniversário? Há, há! Não é chá de aniversário.
Chapeleiro: Claro que não! É chá de desaniversário.
Alice: Desaniversário? Não entendo.
Lebre: Só há um dia no ano em que você comemora seu aniversário.
Chapeleiro: Portanto, os outros 364 dias são desaniversários.
Alice: Então, hoje é meu desaniversário!

tomei meu remédio com chá pela tarde, e ao anotar nos papéis do balcão, e constatar que é dia doze, e faço dezoito anos, lembro da alegre canção do filme em desenho de Alice no País das Maravilhas. e fico meio como a personagem principal mesmo, absorta de tantas dúvidas, algumas possibilidades, e as inúmeras tentativas que já foram e não voltam pelo caminho, sendo recolhidas como as migalhas em João e Maria. eu sempre sofro, eu carrego essa maldição de qualquer toque amoroso mais profundo, ou com grandes chances de dar certo, e a morte letárgica, a flor que vai murchando e definhando aos olhos nus e sem perspectiva de melhor. é como simplesmente a minha fé enorme sufocasse os acontecimentos, assustasse tudo de bom que podia vir a se tornar, qualquer que fosse minha relação, algum dia. por mais que, hoje seja meu dia, é como se eu preferisse que certos acontecimentos nem entrassem na pauta. porque o sofrimento não é agora, mas mais tarde. e em dobro.
me conhecendo pelas minhas frequentes e profundas análises, quase coloco uma placa no peito, de be careful, não se aproxime, mantenha distância, e cuidado, não estacione. não guarde vaga, porque aqui as coisas apodrecem, e nada continua manter vivo por muito tempo. não entrem muito em contato, porque a minha simples falta de sorte, quase contagia. se querem otimismo e necessitam de melancolia e solidão, fiquem perto, mas não muito, que meus simples abraços, minhas ligações no meio da tarde, ou as palavras carinhosas carregam em si alguma urucubaca, algum estigma de fuga, de bruxaria e um reino de sortilégios.
lidei já com tantas perdas, e nenhuma estabilidade, o que vem me cansando há tempos e não é mistério para mais ninguém, quando mais, aqui no blog. é só que, me entopem até a boca de esperanças, de gente boa, e alma completa, e agora do nada uma possível saída de emergência aberta, um buraco onde aparentemente tudo era lindo e intacto. quando eu nem mesmo conhecia tais possibilidades.. dói, e cansa.
e um medo de se apegar, de querer mais ainda a presença do outro, a permanência do outro, sendo que tudo é dúvida, que o que resta é curtir apenas o momento presente, grudando como chiclete velho e sem gosto, que promete impregnar nas vísceras - escolho então para colar no pensamento, na atitude.. nas pequeninas coisas que nos aproximaram, tem nos ligado, e continuam me fazendo encantada, cantando no chuveiro e saltitando pelo centro da cidade. não sei se depois de ontem, e nem como acordei hoje. mas durmi adentrando meu dia com o pensamento para que hoje fique, fique, fique. para que não seja mais um balão a se desprender do meu punhado de felicidade, e que não voe tão cedo para longe, para o irrecuperável.
porque o caminho deveria ser o oposto, e surpresa ruim antes do Birthday, deveria ser proibido. com lei federal, e tudo. vou dormir, e espero que consiga. sabendo, mesmo assim, que a insônia vem me pegar, e não adianta nanar, neném.. tanto barulho por nada, por nada no futuro? Kid Abelha fala mais que todas essas palavras aqui. finito!

- Camila Paier [adaptado]

Comentário: então quero dizer porque escolhi exatamente essa crônica da minha amiga Camila – Calmila –, quando li ela, exatamente no dia que ela postou, achei que um dia faria todo o sentido, e que esse lance de desaniversário realmente é algo que devemos comemorar sempre. hoje eu completo 18 anos de idade. caramba, quem diria que estaria de maior hein. então parabéns para mim poxa, todo mundo tem seu dia afinal, e eu quero me sentir feliz no meu.

5 comentários:

  1. Parabééns, amo o blog, amo os textos. =DD

    ResponderExcluir
  2. hoje é seu desaniversário, mas quero desejar feliz aniversário atrasado, muito sucesso doug. amo o blog, amo os textos. =DD[2]

    ResponderExcluir
  3. Tenho que comentar aqui? Tenho, é lógico. E não porque é teu aniversário, deixo claro. Sei que passou, e foi dia 12. Te parabenizo, desejo um zilhão de coisas boas e sinceras no teu caminho, na tua vida, e enfim, felicidade, Douggie! Enfim, acho que tantos desaniversários passam por nós, sem que a gente realmente dê a atenção que merecem, que a gente tem mesmo é que prestar atenção à esses pequenos detalhes. Que seja únicos e comemoráveis cada desaniversário que encontramos a cada vinte e quatro horas do dia! Hahahahaha
    Beijo, querido!

    ResponderExcluir
  4. Feliz Aniversário! Não conhecia aqui, vim por indicação da própria Camila pelo twitter e posso dizer que gostei muito. Parabéns viu, pelos anos de vida e pela escrita bela que tú demonstra aqui.

    Beijo!

    ResponderExcluir