quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

é tão difícil a gente se fazer entender porque são tantas as partes subjetivas. existe a explicação e existe a interpretação, e elas dependem tanto uma da outra que as coisas ficam muito complicadas. eu não queria que ele se sentisse mal a respeito disso. queria que ele visse o óbvio, que estava tudo bem em me deixar partir. ele tinha passado por tanta coisa, e finalmente tudo havia chegado ao fim. era preciso que eu não estivesse mais por perto para ele não se preocupar. ele precisava que eu o libertasse para brilhar.

- Garth Stein in A Arte de correr na chuva

Um comentário: