domingo, 6 de fevereiro de 2011

minha boca já perdeu o fôlego de contar quantas vezes te mandou embora. setecentas vezes e mais essa. minha capacidade de me enxergar em dois lugares ao mesmo tempo me rendeu uma espécie de estrabismo sentimental. meu coração, minha cabeça, meus braços andam cansados de querer coisas. não é desejar coisas que me comove, mas não saber do que será. querer, um dia a gente consegue. não saber é entregar a emoção à primeira tormenta. não saber um futuro, não saber um nome, não saber uma esquina, não saber um perfume, não saber um fim.

- Gabito Nunes in Reconciliação

Nenhum comentário:

Postar um comentário