sexta-feira, 18 de março de 2011


por mais que eu aplauda o que convencionamos chamar de “maturidade”, no fundo acredito que somos, todos nós, crianças que cresceram mais em estatura do que emocionalmente, crianças que foram empurradas para o meio do palco e que precisam ter suas falas na ponta da língua, conforme foram ensaiadas desde a primeira infância. somos homens e mulheres na segunda, terceira, quarta, quinta infância, nos apegando aos nossos parcos conhecimentos e às nossas inúteis experiências para tentar não errar demais. somos crianças que choram escondidas no banheiro, que tomam atitudes insensatas, que dizem o que não deveriam ter dito e que, nos momentos de desespero, gostariam de chamar um 'adulto' para resolver a encrenca em nosso lugar.

- Martha Medeiros in Pequenas crianças pertencente a obra “Doidas e Santas”

2 comentários:

  1. belissimo texto ...
    passa la tbm, deie sua opnião http://amandabaracho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Caiu como um guarda-chuva! Adoro esse livro!!

    ResponderExcluir