sexta-feira, 25 de março de 2011

preciso admitir que a ambivalência nos salva de morrermos na poeira da mesmice. também admito que seria mais fácil ser sempre o mesmo, seria mais doce levantar cada manhã sem conflito e morrer enfim sem ter jamais duvidado.
mas não é tão simples. desculpem, mas não somos isso.

- Lya Luft in Legado pertencente a obra “Pensar é transgredir”

Um comentário:

  1. Não mesmo
    E devo dizer ... Graças a Deus.

    beijos

    Ótimo fim de semana
    carinho no seu coração

    ResponderExcluir