domingo, 6 de março de 2011

quase consigo te tratar como nada. mas aí quase desisto de tudo, quase ignoro tudo, quase consigo, sem nenhuma ansiedade, terminar o dia tendo a certeza de que é só mais um dia com um restinho de quase e que um restinho de quase, uma hora, se Deus quiser, vira nada. mas não vira nada nunca. eu quase consegui te amar exatamente como você era, quase. e é justamente por eu nunca ter sido inteira pra você que meu fim de amor também não consegue ser inteiro.

- Tati Bernardi

Um comentário:

  1. Tati Bernardi sempre brilhante! Gosto de sua sensibilidade, Douglas.

    confira meu blog: http://centoedezquilometros.blogspot.com/2011/03/doceis-coracoes-espartanos.html

    ResponderExcluir