terça-feira, 31 de maio de 2011

Tudo que faltou pra você ser


quando Rodrigo me deixou, eu tinha em mente nunca mais me apaixonar. era uma terça-feira. quem deixa alguém numa terça-feira? depois de semanas você consegue voltar a sua vida normal, até ela ficar normal demais. eu precisava tanto dele, tanto. que não precisar foi o ato mais difícil de todos os tempos. "não precisar" dói porque faz da gente um ser mais forte. hoje a normalidade me persegue, e eu acabei esquecendo como é sofrer.
ele marcou tanto a minha vida, até hoje eu escrevo falando dessa praga. ele foi o remo mais bonito que eu encontrei e que combinou com o meu barco. mas conforme a gente cresce na vida, consequentemente o barco vira um navio e um navio não precisa de remos. e logo, eu não precisei mais de você.
tudo começou a ir mal depois que o nosso relacionamento se tornou sinônimo de desculpa. era desculpa porque você chegou atrasado, era desculpa porque você não andava presente, era desculpa por você sumir e não dar satisfações. até eu ficar farto de tanta desculpa. eu não queria mais ouvir um pedido desses, e você começou a pedir perdão. abusava de tanto pedi-lo. você nunca precisou pedir desculpas pra mim, você só precisava fazer diferente. tão difícil entender?
quando você tentou ser melhor, juro que faço o máximo pra não debochar de você, mas me irritou tanto, eu tinha medo de te descartar eu acho. tua vida se mostrava cada vez mais insignificante e eu ali do seu lado. merecia o trófeu de mister paciência? eu merecia.
odeio terminar mais um texto tentando falar das coisas boas que você tinha pra me oferecer e só saindo as magoas que restaram. te odeio por você ser você. mas se fosse outro, talvez eu não teria me apaixonado, mas com certeza teria me machucado menos.

- Douglas Lenon
29 de maio de 2011

segunda-feira, 30 de maio de 2011

a "pior" vontade não quer ganhar medalha de honra ao mérito, não quer posar para fotografias, não quer completar bodas de ouro nem ser jubilada. a "pior" vontade não faz a menor questão de ser percebida, ela quer ser realizada. é quando você sabe que não deveria, mas vai. sabe que não será fácil, mas enfrenta. sabe que tomarão como agressão, mas arrisca. aqui, cabe lembrar: apenas se sentem agredidos aqueles que te invejam.

- Martha Medeiros in A pior vontade de Viver pertencente a obra “Doidas e Santas”

domingo, 29 de maio de 2011

Dia 28 - Este ano, em detalhes

estamos quase na metade dele. digamos que mais três dias e chegamos na metade. já tive anos melhores posso dizer isso pra vocês, porém esse ano veio acompanhado de muita responsabilidade, uma dica pra vocês, as aulas teóricas da autoescola são um saco, isso que minha instrutora é muito gente boa, mas mesmo assim ficar três horas escutando e escutando torna tudo mais cansativo. outra coisa, tente nascer rico da próxima vez - caso você acredite em reencarnação é claro - porque não ter dinheiro me impede de tanta coisa. uma: eu quero pagar minha faculdade, mas não consigo desembolsar uma grana de R$ 1.300,00 por mês. segundo que: eu queria comprar livros, muitos livros, uma vida de livros. acho que meu ano se resume nisso mesmo, se resume até agora é claro. um novo amor? sei lá, não tô acreditando muito nisso ainda. dessa vez ele vai me encontrar, eu não vou fazer esforço algum. ótima semana pra todos. termino hoje com a música que está marcando a semana.

It's times like these, you learn to love again, it's times like these, time and time again.

- Foo Fighters
Times like these

sábado, 28 de maio de 2011

o que é visível se torna inevitável. seu carro vai para onde vão seus olhos.

- Garth Stein in A Arte de correr na chuva

sexta-feira, 27 de maio de 2011


eu sei que você vai se despedir para sempre mais uma vez, e por menos que deseje, eu espero que não volte, não me traga de novo esses sorrisos sinceros que só tenho quando meu coração bate em conjunto com o seu, eu me saio melhor forjando alegria. não volte, não jogue na minha cara que eu não sou capaz de ter você. eu quero que você saiba que é um pouco difícil esperar cada vinda, esperar cada volta, esperar cada momento em que posso te observar em silêncio, ver e não ter.

- Tati Bernardi

quinta-feira, 26 de maio de 2011

mas agora tá tudo bem. aprendi que quanto mais superficialmente você costura uma relação, menos chance há de se afogar. navegar é preciso, o negócio é não faltar nas aulas sobre como boiar em águas nem doces nem salgadas. hoje posso dizer convicta que prefiro o clarão das aparências que a penumbra de mergulhar fundo, sem saber como respirar abaixo do chão. agora, como boa marinheira de incontáveis viagens, finalmente sei como desatar nós.

- Gabito Nunes in Agosto amargo

terça-feira, 24 de maio de 2011

eu não podia permitir a mim mesmo continuar me perdendo no que deixara de ser.

- Caio Fernando Abreu in Triângulo das águas

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Dissertação 88


quem fica de fora vê esforço na gente em continuar, mas a gente mesmo, só sente cansaço.

- Douglas Lenon
20 de maio de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

não ser devorado é o sentimento mais perfeito. não ser devorado é o objetivo secreto de toda uma vida.

- Clarice Lispector in A Menor Mulher do Mundo pertencente a obra “Laços de Família”

sábado, 21 de maio de 2011

a população do planeta está em plena atividade, todos trabalhando, planejando, comemorando, matando, sobrevivendo, um mundo no gerúndio, sem interrupções, e a gente consumindo tudo isso, soterrados por tanta notícia, por tanto apelo, por tanta exigência de opinar, concordar, discordar. você poderia estar ouvindo uma música agora, olhando pro céu. você poderia estar regando suas plantas, poderia estar observando o barulho da chuva, poderia estar preparando um chá ou lendo um belo poema em vez desses meus lamentos. não, não me abandone, mas fica aqui uma perguntinha: você tem recebido notícias de si mesmo?

- Martha Medeiros in Notícias de tudo pertencente a obra “Doidas e Santas”

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Be Happy

sabe aqueles momentos que você se frustra por qualquer bobagem? que você esta mais frágil que uma porcelana? são nesses momentos que você levanta a cabeça e segue em frente.
isso acontece quando seu coração não aguenta mais conhecer o sofrimento, não aguenta mais saber o que é saudade, o que é querer alguém por perto e não poder ter.
pensa que não tem mais saída, que sua vida acabou mais não, levante-se, você ainda tem muito pra ver.

você agora sente que precisa muito dele pra poder sobreviver e algum dia ser feliz, mais acredite, o sol vai e deixa a escuridão, mais ele volta, nada pode impedi-lo. faça com que nada possa te impedir a voltar a ser feliz.

pense o que quiser, sonhe o que quiser, apenas aproveite o máximo que puder, você quer desistir, você quer atenção, mais não se deixe cair, pela primeira vez não vá pelo coração, ouça a razão.

a sua vida não vai terminar essa noite, vá curtir, vá se divertir, estamos no meio de mais de oito bilhões de pessoas não se deixe abalar por apenas uma que esta nesse meio, eu sei que é difícil, eu sei como é amar alguém e não ter a certa consideração, isso corrói por dentro, como se fosse um vírus maligno, capaz de destruir a sua vida, mais não o tema. seja mais forte, você pode.

e sim, a vida é o que fazemos dela, sempre tem seus altos e baixos, temos que estar satisfeitos, pode ter momentos difíceis, mais pare pra pensar, você sempre supera todos eles... não importa o quanto seja "foda", ou o quanto você tenha que lutar, mais tente sair ileso e vencedor, às vezes tem as derrotas, mais depois passe por cima, não deixe sua fé andar sobre cacos de vidro sempre.

- Bam

é uma longuíssima história. na verdade é uma carta, não uma crônica.
eu recebi essa crônica, dia 03 de agosto de 2009. sim, eu. quem escreve
nesse blog, não fazia nem um mês direito que eu conhecia ele. eu não sei
até hoje se ele realmente existiu, ou se eu fantasiei ele. sei que tudo que ele
escreveu aí, não fez mais sentido a partir do dia 17 de agosto de 2010.
quando eu deletei ele da minha vida. eu não queria sentir raiva ou rancor,
ou qualquer outra coisa que faça mal, mas é inevitável, ele me machucou
tanto, tanto, tanto... que eu espero que fique mais pena que ódio dele
dentro de mim. tudo nele foi uma farça, não sei nem o nome dele, tudo
foi uma farça. às vezes acho que ele inventava também o amor, o apelido
dele era esse: Bam. tenho saudade das coisas boas dele, sim. não sou
hipócrita em dizer que não, mas que ele esteja bem, onde quer que esteja.

quinta-feira, 19 de maio de 2011


fazer suas escolhas, assinar embaixo, pagar os preços... e não se lamentar demais. porque programamos o próprio destino a cada vez que, num tímido murmúrio ou num grande grito, a gente diz para si mesmo: "sim!"

- Lya Luft in Dizer “sim”, dizer “não” pertencente a obra “Pensar é transgredir”

quarta-feira, 18 de maio de 2011

— este é o primeiro dia em que não estou morta – Eve disse para nós. - por isso estamos festejando.

- Garth Stein in A Arte de correr na chuva

OBS: parece muito dramático, mas me fez chorar demais quando li essa parte no livro.

terça-feira, 17 de maio de 2011

queria sentir o amor que dorme ao lado, come, faz piada de banheiro. o amor menor. dos casaizinhos que viajam para quartos pequenos de pousadas vagabundas e dividem cheiros de bosta em meio a declarações de uma vida inteira. o amor sem a arrogância do amor.

- Tati Bernardi

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Do que eu lembro de você


você foi o sonho mais ridículo que eu já sonhei, a pior piada que alguém já contou, chega uma noite fria e um pouco solitária e você resolve aparecer, não, não é em corpo, carne e osso não, é em pensamento. você é um maldito fantasma, o qual insiste me assombrar a cada erro meu, você não é absolutamente nada, você é o nada.
tenho me movimentado tão pouco devido o nada que me persegue, odeio tudo que te faz e te fez bem, sua mania de rir quando fica nervoso, teu olhar de negação para as minhas escolhas, seu tênis preto com branco que te faz parecer mais um menino do que um homem. e é por isso que eu continuo escrevendo, porque você não passa de um menino.
hoje venho dizer o quanto eu te anulo, do quanto você não significa nada, que você não merece nem o meu resto, nem o que eu ouso pensar e muito menos o que eu sinto. você não merece nem a si próprio. da vida que te engana e te faz desistir de tudo, da vida que te maltrata e te faz pensar no dia de amanhã, da vida que te consome e te deixa triste a cada segundo por tanto ódio, tanta falta de felicidade porque ódio é forte demais. da vida que te mata.

- Douglas Lenon
05 de maio de 2011

domingo, 15 de maio de 2011

aí decide que vai me encontrar. fica imaginando onde, como, quando. num curso rápido? jantando na casa de um amigo? num show da Ana Carolina? não, você passa mal com Ana Carolina. numa rede social? ninguém sabe nada ainda, exceto que nenhum dia é igual. pra nós dois o mundo inteiro é um pequeno guarda-chuva que não conseguimos dividir sem se molhar. se eu sonho mesmo contigo e essas coisas? claro que sim. não é incrível pensar que lá fora existe alguém pra você, que por enquanto é um completo desconhecido?

- Gabito Nunes in Nenhum dia é igual

sábado, 14 de maio de 2011

porque já me fui e nada do que poderias fazer agora eu conseguiria fazer novamente, então sinto pena — disse o anjo fechando as asas sobre o rosto magro.

- Caio Fernando Abreu in Triângulo das águas

sexta-feira, 13 de maio de 2011

quem está livre de cruzar com um cafajeste e, pior, se apaixonar por ele?

- Martha Medeiros in Divas Abandonadas pertencente a obra “Doidas e Santas”

quarta-feira, 11 de maio de 2011


mas era uma tarde de maio e o ar fresco era uma flor aberta com o seu perfume. assim achou que era maravilhoso e inusitado ficar de pé na rua - ao vento que mexia com os seus cabelos. não se lembrava quando fora a última vez que estava sozinha consigo mesma. talvez nunca. sempre era ela - com outros, e nesses outros ela se refletia e os outros refletiam-se nela.

- Clarice Lispector in A Bela e a Fera ou a Ferida grande demais pertencente a obra “A Bela e a Fera”

terça-feira, 10 de maio de 2011

dizer "sim" a si mesmo pode ser mais difícil do que dizer "não" a uma pessoa amada: é sair da acomodação, pegar qualquer espada - que pode ser uma palavra, um gesto, ou uma transformação radical, que custe lágrimas e talvez sangue e sair à luta.

- Lya Luft in Dizer “sim”, dizer “não” pertencente a obra “Pensar é transgredir”

segunda-feira, 9 de maio de 2011

sim, mais uma volta. uma volta. para sempre, mais uma volta. eu vivo a minha vida por mais uma volta. eu dou a minha vida por mais uma volta. por favor, Deus, por favor, me dê mais uma volta!

- Garth Stein in A Arte de correr na chuva

domingo, 8 de maio de 2011

Pra falar de nós, amor


— hoje tem churrasco na casa do Rafa, vamo?
— churrasco na casa do Rafa de novo?
— já percebeu que tudo é motivo pra briga? nada nunca tá bom. às vezes parece que o homem da sua vida de três anos atrás virou o caminhoneiro que vem te ver uma vez a cada dois meses.
— o caminhoneiro consegue ser mais original, talvez ele saiba o que fazer. você tem noção de qual dia é hoje?
— dia 8 de maio não é?
— você é sempre sínico assim mesmo, ou tá querendo me irritar?
— o que eu fiz de errado agora meu deus?
— três anos atrás naquela praça, era mais ou menos seis horas da tarde, e um cara não muito interessante, sentou do meu lado, e perguntou o que eu achava do amor, na hora eu fiquei sem reação, nunca havia visto alguém se aproximar assim de outro alguém, eu disse: amor? não sei te responder agora, assim na lata. e aquele cara nunca mais me perguntou sobre o amor outra vez.
— tá insinuando que eu esqueci do nosso aniversário de namoro?
— não, longe de mim.
— então o que quer que eu faça?
— quero que seja aquele mesmo homem, aquele o qual eu me apaixonei. é tão difícil assim ser ele, eu quero me apaixonar por você de novo, cadê nossa essência? nossa estrela no céu, uma que eu chamei de minha, e outra que você chamou de tua, então demos o nome da constelação de amor. eu não sei mais quem é você, talvez você tenha sido isso o tempo todo, e quis me impressionar naquela praça, naquele primeiro mês.
— o amor é um nós que esqueceu de estar aqui agora. sei que estive ausente, mas não somos os mesmos à muito tempo. mas eu te amo. eu também não sei mais quem eu sou, mas eu posso afirmar com toda a certeza do mundo que é você quem eu quero. desculpa se um churrasco no Rafa não é suficiente, na verdade eu achei que depois do primeiro ano de namoro a gente nem contasse mais os dias. pensei que começasse outro significado depois.
— nós temos tudo o que precisamos, o amor maior é o que a gente inventa depois de um ano de pura paixão. sabe o que eu amo de verdade, quando você fecha os olhos e conta uma piada ruim no domingo a noite. e me faz pensar se existe alguém mais feliz no mundo nesse momento, porque se você calcular o meu riso bobo com a sua piada ruim, nós viramos o casal mais fascinante de todos os tempos.
— eu achava que você odiava minhas piadas.
— eu odiei quando você parou de contá-las.
— o que você acha do amor?
— eu passei muito tempo achando o amor entende? eu pensei muito na sua pergunta durante todo esse tempo. eu não acho mais o amor desde aquele dia na praça. a pergunta que você deveria me fazer é se o amor me achou. e nem precisa perguntar, porque ele me achou, ele simplesmente me pegou no colo e me trouxe pra casa.
— passamos muito tempo achando coisas do amor, e pouco tempo fazendo ele. esquece esse churras na casa do Rafa. e vem fazer amor com o teu homem, aquele que te amou desde o primeiro dia, desde a primeira palavra que você me disse.
— amor?
acenando com a cabeça que sim, ia dizendo de mansinho:
— amor tranquilo, com sabor de fruta mordida.

- Douglas Lenon
08 de maio de 2011

(Última frase, percente a música de Cazuza - Todo amor que houver nessa vida)

Dia 27 - Este mês, em detalhes

então, vou falar do mês que passou na verdade porque esse recém começou. minha vida deu um pulo, um giro, um mega salto nesse último mês que passou, terminei meu estágio de dois anos na Biblioteca Pública do Paraná no dia 20 de abril, o qual me fez crescer muito tanto como pessoa, e talvez profissionalmente. comecei a trabalhar na biblioteca do Centro de Letras do Paraná no dia 26 de abril, tô gostando demais, minha terceira semana lá e tô aproveitando o máximo. não estou preocupado com o vestibular esse ano, quero mesmo é me preocupar com uma coisa de cada vez, primeiro me formar no ensino médio, esse ano, tão esperado! segundo quero pensar no rumo que minha vida tá seguindo, e terceiro — que em breve, no caso ano que vem — será a batalha contra o vestibular. talvez sem estudar na louca eu consiga passar esse ano, mas tenho outras prioridades no momento.
'some não Tati. some não. aí eu apareço. peraí Tati. não aparece tanto não, não aparece tanto que daí sou eu que sumo.' bando de gente morna do cacete.

- Tati Bernardi

sábado, 7 de maio de 2011

e, mesmo, quem já não desejou possuir um ser humano só para si?

- Clarice Lispector in A Menor Mulher do Mundo pertencente a obra “Laços de Família”

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Vai por mim


não, não fica bem aparecer por lá agora, ainda. faz só uma semana. ele vai estar naquela fase em que o canto dos pássaros na janela não lembra música, só ruídos verde-escuros. ele está bem, evidente que está. tem trinta e dois dentes, barba, um amigo que outro, discos do Nirvana, quem não estaria? não, não, chorando já é pedir demais. outra? duvido muito. os primeiros dias, vinte ou dez, a gente se dá conta de que não tem mais ninguém pra se arrumar, perfumar, ficar pronto. ele deve estar com aquela calça cinza de algodão, caminhando de meias pela casa, apoiando a testa no vidro da janela, de vez em quando. tomando coragem de olhar pra rua e o que vem por aí, depois de você.

não, não telefona. me espera chegar. do mesmo, de nada vai adiantar. ele está justamente esperando por isso, testando as possibilidades, do fixo pro móvel, e vice-versa, pra checar mesmo se ambos estão cumprindo seu papel. e tá tudo em cima, funcionando, não vá estragar todo o processo de cura, os primeiros dias são elementares. telefonar de bobeira pra ficar em silêncio do outro lado do mundo, enquanto ele espera que você diga "estou-arrependida-posso-voltar?". pra quê? ele até já ensaiou o timbre pra dizer, como vai desdenhar um pouco de início, depois apresentar seu disfarce em condições infantis, aquele jeito frágil querendo parecer forte só pra mostrar que pode te proteger num anoitecer de segunda-feira.

você não terminou porque precisava de mais atenção? então, criatura. agora é o que ele mais precisa, depois de ouvir "não-dá-mais-vamos-terminar-isso-antes-que-alguém-se-machuque-mais". a não ser que você queira parecer louca, aí guardo suas costas, vá em frente. se ele for realmente o Grande Amor da Sua Vida? não é, vai por mim, a gente sempre sabe. não pense maluquices. ainda é cedo. o tempo pra surgir um novo amor leva uma eternidade, não se engane. agora serão apenas uns casinhos sem importância, ele vai cultivar dois ou três, todos com a cor de cabelos, a voz e o cheiro bem diferentes dos seus. e mesmo que alguém apareça, o alarme dele não vai soar.

não, você não é insubstituível. mas também, o que você queria? uma espécie de hipoteca amorosa? um estepe sentimental? não é assim. ele é bacana, vai encontrar outrem um dia, vai conquistá-la com o mesmo mel que grudou você, ninguém perde a manha. um pouco de ciúme é natural, poxa vida, você é gente, isso é parte integrante. e, fatalmente, vão se cruzar por aí. são tantas as esquinas. vocês vão beber um café quente juntos, falar amenidades, sobre novos cortes de cabelo, você está bonita, e você mais maduro, como está sua mãe e tudo mais. nos momentos de silêncio, baixarão o queixo, com medo de amarrar olhares e, talvez, voltar tudo aquilo outra vez. mas vai ser só isso. se existem outros caras legais por aí? claro que sim. vai por mim.

- Gabito Nunes

quinta-feira, 5 de maio de 2011

— elas estão quase sempre abertas. não são suficientemente estreitas para prender alguém ou alguma coisa. houve um dia em que você deixou alguém fugir por entre as grades.

- Caio Fernando Abreu in Triângulo das águas

quarta-feira, 4 de maio de 2011

meu aniversário está enterrado em janeiro,
anônimo em alguma praia.

- Fabrício Carpinejar in Como no céu & Livro de visitas

terça-feira, 3 de maio de 2011

Dissertação 87


pra quem tem um coração, nem imaginava que um dia falaria dessa maneira, porque no fundo todo mundo tem um coração, ou pelos deveria ter um. mas conforme vamos vivendo, construindo e entendendo que existe sim, seres humanos os quais desconhecem a existência desse sensível, vulnerável órgão. vai ver que existe gente que nem tem, e que parece que nem faz falta, que é seco por dentro, sem graça por fora, o mundo tá repleto de pessoas assim, piores que isso também. mas vai encontrar quem tem mais de um coração, que ama demais, que cuida, que maravilhoso por dentro e inacreditável por fora. coração tem quem fez por merecer.

- Douglas Lenon
03 de maio de 2011

segunda-feira, 2 de maio de 2011

lúcido deve ser parente de Lúcifer
a faculdade de ver deve ser coisa do demônio
lucidez custa os olhos da cara.

- Viviane Mosé in Pensamento chão

domingo, 1 de maio de 2011

o demônio é criativo, é sexy, é surpreendente e pode ser um doce, quando bem tratado. ao menos aqui em casa é assim. quando meu namorado se atrasa, eu não o recebo com um "por onde andastes, Santo Deus?". muito dramático. eu pergunto: "onde é que tu tava, diabo?". não fica mais informal e carinhoso?

- Martha Medeiros in Simpatia pelo Diabo pertencente a obra “Doidas e Santas”