quinta-feira, 23 de junho de 2011

Será que dessa vez...


nos conhecemos não faz muito tempo. eu não sei quantos passos a gente precisa dar pra se conscientizarmos que talvez possa virar um relacionamento isso tudo. acho que nesse tempo que a gente passa se conhecendo e deixando de amar, a gente vai ficando cada vez mais distante das pessoas, vamos focando mais no nosso eu — o que não é ruim — mas também não é muito bom. do tudo que sobra fica o pensamento longe e até mesmo a solidão as vezes. tenho medo de me arriscar de novo, "de novo" entende?
agora, mais ou menos nesse minuto ele deve ter chegado na Bolívia, eu não sei como lidar, mas ele mexe comigo. nesse instante fica o medo de estar sufocando ele até mesmo em pensamento. faz mais ou menos um mês que a gente se conheceu, ele é bem descolado. cara ele trabalha a noite, e ele ter irmãos. e parece que agora eu entro numa vida normal sabe, não naquele relacionamento conturbado o qual eu vivi, que eu nem sabia quem era quem e muito menos o porque de estar ali. ele é de carne, osso e coração. ele parece já ter se machucado e estar pronto pra começar de novo. eu quero começar de novo, começar assim normal, nada de especial ou fora do comum sabe. eu quero ser apresentado para os pais dele tá entendendo. eu não quero usar aliança. eu quero usar qualquer coisa que me faça ser dele, quem sabe mandar fazer uma camiseta com um verso de uma música o qual a gente gosta. quem sabe desenhar um coração numa árvore e escrever nossos nomes. ou qualquer outra coisa dessas meio bobas que a gente sonha ao acaso.
esse é coração novo deseja tanta coisa que parece até meio fora do comum você poder se apaixonar de novo. eu poderia falar mil qualidades as quais eu vejo nele, nas nossas simples conversas, sabe de uma coisa, ele não é romântico, ele é diferente, ele diz pensar em mim, querer estar comigo quando eu menos espero. saudade dele agora, não faz ideia do quanto.
vivia idealizando o amor, sonhando, e não posso reafirmar com certeza que ele apareceu, mas posso dizer que estou feliz por ter encontrado alguém que parece poder suprir o que eu gosto, o que eu preciso, o que eu quero. eu amo ele, e acho cedo pra dizer isso, acho cedo porque a gente sempre fala as coisas tarde demais sabe.

- Douglas Lenon
23 de junho de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário