domingo, 31 de julho de 2011

mas nada disso é novidade. antes dele, teve o outro, o outro que continua indo embora para sempre porque nunca foi embora pra sempre. eu não sei deixar ninguém partir, eu não sei escolher, excluir, deletar. são as pessoas que resolvem me deixar, melhor assim, adoro não ser responsável por absolutamente nada, odeio o peso que uma despedida eterna causa em mim.

- Tati Bernardi

sábado, 30 de julho de 2011

num instante você me olha apaixonado e depois se vira pra janela ficando um pouco fora do ar. nessa hora me belisco pra não saber do porquê, sem esquecer do dia em que você me falou que nem toda pergunta requer uma resposta. mas então não fica assim, não precisa dizer nada, só não me deixe faltar aqueles abraços silenciosos pra calar a boca de quem me mandou ter calma contigo. agora que eu me perdi, só preciso de você me dizendo que amanhã ainda vou te achar no mesmo lugar, se eu procurar. eu te quero, na medida do impossível.

- Gabito Nunes in Apego

sexta-feira, 29 de julho de 2011


— sei, sei. você vai perguntar: mas houve um erro? bem, não sei se a palavra exata é essa, erro. mas estava ali, tão completamente ali, você me entende? no segundo seguinte você ia tocá-la, você ia tê-la. era tão. tão imediata. tão agora. tão já. e não era. meu Deus, não era. foi você que errou? foi você que não soube fazer o movimento correto? o movimento perfeito, tinha que ser um movimento perfeito. talvez tenha demonstrado demasiada ansiedade, eu penso. e a coisa se assustou, então. como se fosse uma fruta madura, à espera de ser colhida. é assim que vejo ela, às vezes. como uma coisa parada, à espera de ser colhida por alguém que é exatamente você. não aconteceria com outro. depois, quando ela foge, penso que não, que não era uma fruta. que era um bicho, um bichinho desses ariscos. coelho, borboleta. um rato. é preciso aprender a se movimentar dentro do silêncio e do tempo. cada movimento em direção a ele é tão absolutamente lento que o tempo fica meio abolido. um bicho arisco vive dentro de uma espécie de eternidade. duma ilusão de eternidade. onde ele pode ficar parado para sempre, mastigando o eterno. para não assustá-lo, para tê-lo dentro dos seus dedos quando eles finalmente se fecharem, você também precisa estar dentro dessa ilusão do eterno.

- Caio Fernando Abreu in Triângulo das águas

quinta-feira, 28 de julho de 2011

é no olhar, sobretudo, que a amizade se confirma. é no jeito de olhar que nos reconhecemos no primeiro momento, nós, amigos recentes de longas datas. isso porque amigo tem esse olhar bom: ele nos olha como se realmente quisesse nos ver, sem nenhum outro interesse que não seja a oportunidade boa e rara de partilhar amizade. ele nos vê e permanece ao nosso lado, esse conforto que palavra alguma é capaz de traduzir. esse detalhe grandioso que faz toda a mágica acontecer, porque amar é também a arte de cuidar com os olhos.

- Ana Jácomo

quarta-feira, 27 de julho de 2011

não gosto quando a gente fica falando assim no que não foi, no que poderia ter sido. God! não aos sábados, principalmente à noite. não hoje, por favor, hoje não dá, eu tenho. eu tenho uma sensação meio de amargura, de fracasso. você me entende? como se tivesse a obrigação de ter sido, ou tentado ser, outra pessoa.

- Caio Fernando Abreu in Triângulo das águas

terça-feira, 26 de julho de 2011

Dissertação 90


uma vontade de deitar pra dormir, olhar pro espelho e dizer: eu amo você, viu? dorme bem.

- Douglas Lenon

segunda-feira, 25 de julho de 2011

a gente se apaixona para corrigir nosso passado. agora fica claro que podemos corrigir nosso passado com os próprios protagonistas do nosso passado, desde que eles nos enxerguem com olhos mais curiosos, com um coração mais disposto e que acenem com um novo futuro.

- Martha Medeiros in Amo você quando não é você pertencente a obra “Doidas e Santas”

domingo, 24 de julho de 2011

Dia 30 - Pra sempre, sempre acaba

no fim dos 30 dias, eu tenho que dizer pra vocês que nada é eterno, nós achamos que muita coisa dura na vida, mas não. viva como se não houvesse amanhã, respire como se fosse o último ar, seja feliz acima de qualquer coisa. tenho que dizer que sou muito mais forte, muito mais forte que qualquer homem que eu já tenha encontrado na minha vida, que já tenha feito parte da minha vida. sou mais forte do que eu julgava ser a palavra forte. perdi meu pai não faz nem um mês, e tô aqui firme. eu pensei que aquele velho cricri, chorão, implicante fosse pra sempre. pensei que eu ia chegar da escola e ter um colo todos os dias, agora seria diferente eu chegaria da faculdade e teria um colo. por isso hoje, abrace quem você ama de verdade, dê valor pra quem te dá valor. ame mais aqueles que querem o seu bem, não queira bem o que não te completa. exista pra quem cuida de você.

sábado, 23 de julho de 2011

só Deus perdoaria o que eu era porque só Ele sabia do que me fizera e para o quê.

- Clarice Lispector in Os Desastres de Sofia pertencente a obra “A Legião Estrangeira”

sexta-feira, 22 de julho de 2011


se fosse uma comédia-romântica-americana, a gente se encontraria daqui a um tempo e eu diria a ele, que mesmo depois de ter conhecido homens que não gritavam quando eu acendia a luz do quarto, não faziam uso de um cigarro que me irritava profundamente e sobretudo minha rinite alérgica, não amavam os amigos acima de, não espirravam de uma maneira a deixar um fio de meleca pendurado no nariz, não usavam cueca rosa, não cantavam tão mal e tampouco cismavam de imitar o Led Zeppelin, não tinham a mania de aumentar o rádio quando eu estava falando, não tiravam sarro do bairro em que nasci, não insistiam em classificar minhas mãos e pés como seres de outro planeta, não ligavam se eu confundisse italiano com espanhol e argentino, nomes de capitais, movimentos artísticos, datas de revoluções e nomes de queijo, era ele que eu amava, era ele que eu queria.

- Tati Bernardi in Ciúmes não é ex

quarta-feira, 20 de julho de 2011

uma vez ameacei ir embora e tudo que você foi capaz de me dizer foi um "pode ir!" cheio de desprezo. e quer saber? eu fui. o que eu queria? apenas converter aquele "pode ir!" idiota, sabe? eu testei você, e você caiu, trouxa. medroso, covarde, cagão, não foi homem pra me procurar. vai ver é por isso que resolvi tomar a iniciativa, como sempre. para ao menos fingir que tivemos uma despedida.

- Gabito Nunes in Despedida

terça-feira, 19 de julho de 2011

ele tem 20 anos, ele tem 37 anos, ele tem 29 anos, não sei quantos anos ele tem. ele quer pizza de alho-poró, ele quer uma quentinha, ele quer a azeitona, ele quer ganhar tempo enquanto a pizza não chega, ele quer ganhar tempo depois que a pizza acaba. ele quer acender minha estrela, apagar, estourar, reinventar. todos eles mijam em meu banheiro, todos eles conversam com o meu ralo, todos eles puxam a minha descarga. e nenhum desses filhos-da-puta é você.

- Tati Bernardi

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Pra que você possa entender

engraçado que a vida é o seguinte: você nunca vai se contentar com aquilo que tem. você sonha com o seu amor, você idealiza aquele relacionamento lindo, e então você conquista ele. acabou a graça entende? depois que você chega no ponto, depois que você chega naquilo que você julga ser o passo mais importante da sua vida no momento, parece que toda glória que você pensou ter, não era bem esse sentimento que você tá sentindo agora.
eu vivo pra ver se conforme os dias passam, eu me dê mais conta de como a gente é descartável na vida de certas pessoas. eu vivo porque o que resta de nós, é acreditar em nós mesmos. eu vivo pra impedir que a festa acabe e que você sempre apareça com um novo perfume, que traga carinho até, porque a gente vive de amor sim, ninguém é frio o bastante a ponto de não se comover.
cada um sabe onde pesa mais, onde dói mais. eu queria entender qual é a razão, o contexto da
procura e do viver. por que os dois se cruzam a todo momento? viver sempre vai levar a procura, e a procura sempre vai te fazer viver. porque você se machuca, você ama, você cuida, almeja, precisa, tenta, até mesmo esquece, mas você sente que tá vivo. sente que dói. sente que tá ali em carne, osso e coração. viver e não ter a vergonha de se machucar. procurar e se tudo der certo, encontrar aos poucos, porque quando a gente encontra tudo, não desejamos mais nada. você ainda vai se apaixonar pela procura, e viver dela.
- Douglas Lenon

domingo, 17 de julho de 2011

eu me lembrei que fugir, às vezes, é necessário para recuperar o fôlego. para restaurar a força.

- Ana Jácomo

sábado, 16 de julho de 2011

— entendeu? é bem simples. e medonho, porque não pára nunca de acontecer. a mão que daqui a pouco ia estar cheia – pronto! – está vazia de novo.

- Caio Fernando Abreu in Triângulo das águas

sexta-feira, 15 de julho de 2011

antes de falar mal da Caras, pense se você mesmo não anda fazendo muita fofoca. coloque sua camiseta pró-ecologia, mas antes lembre-se de não jogar lixo na rua e nem de usar o carro desnecessariamente. reduza o desperdício na sua casa. uma coisa está relacionada com a outra: você e o universo. quer mesmo salvá-lo? analise seu próprio comportamento. não se sinta culpado por pensar em si próprio. cuide do seu espírito, do seu humor. arrume seu cotidiano. agora sim, estando quite consigo mesmo, vá em frente e mostre aos outros como se faz.

- Martha Medeiros in Em caso de Despressurização pertencente a obra “Doidas e Santas”

quinta-feira, 14 de julho de 2011


não, eu não era engraçada. sem nem ao menos saber, eu era muito séria. não, eu não era doidinha, a realidade era o meu destino, e era o que em mim doía nos outros. e, por Deus, eu não era um tesouro. mas se eu antes já havia descoberto em mim todo o ávido veneno com que se nasce e com que se rói a vida — só naquele instante de mel e flores descobria de que modo eu curava: quem me amasse, assim eu teria curado quem sofresse de mim. eu era a escura ignorância com suas fomes e risos, com as pequenas mortes alimentando a minha vida inevitável — que podia eu fazer? eu já sabia que eu era inevitável. mas se eu não prestava, eu fora tudo o que aquele homem tivera naquele momento. pelo menos uma vez ele teria que amar, e sem ser a ninguém — através de alguém. e só eu estivera ali. se bem que esta fosse a sua única vantagem: tendo apenas a mim, e obrigado a iniciar-se amando o ruim, ele começara pelo que poucos chegavam a alcançar. seria fácil demais querer o limpo; inalcançável pelo amor era o feio, amar o impuro era a nossa mais profunda nostalgia. através de mim, a difícil de se amar, ele recebera, com grande caridade por si mesmo, aquilo de que somos feitos.

- Clarice Lispector in Os Desastres de Sofia pertencente a obra “A Legião Estrangeira”

quarta-feira, 13 de julho de 2011

por mais arriscado que fosse o meu lado, eu era obrigada a arrastá-lo para o meu lado, pois o dele era mortal.

- Clarice Lispector in Os Desastres de Sofia pertencente a obra “A Legião Estrangeira”

terça-feira, 12 de julho de 2011

um piloto precisa ter fé. em seu talento, em seu poder de julgamento, no poder de julgamento daqueles que o cercam, nas leis da física. um piloto precisa ter fé na equipe, no carro, nos pneus, nos freios, em si mesmo.

- Garth Stein in A Arte de correr na chuva

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Dia 4 de julho de 2011. Morre o melhor pai do mundo. Homenagem ao meu heroi


Às vezes dói como se não fosse mais parar, é estranho olhar o mundo e não te enxergar. Eu tenho um milhão de dúvidas nesse momento as quais sei que muitos aqui devem ter também: tão novo, tão cheio de vida, tão alegre.
Meu pai foi um super herói. Não importa pra mim o que ele fez de errado, ou se ele fez algo de errado. Ele foi o escudo quando eu precisei de proteção, aquele velho verso de criança “vou contar tudo pro meu pai.” Parece não fazer muito sentido agora não é mesmo? Papai, você foi mais que um herói, acima de tudo, você foi PAI. O senhor cuidou de mim, cuidou da minha irmã, da minha mamãe, e poxa, sabe quando a pessoa vai embora antes de acabar a festa. Você foi dessa maneira meu paizão.
O meu maior medo pai é o de você não se orgulhar de mim. Eu só quero te dar orgulho meu velho. Porque eu te amo tanto tanto tanto, que esse tanto é tão grande, que nem o coração consegue dizer. Mas pai você vai ver, eu vou me formar, eu vou cuidar da mamãe, da Helen e o Manga - meu cunhado - vai me ajudar tá bom?
Lembra quando você ia trabalhar cedinho pai e eu tinha uns cinco anos de idade, e eu acordava todo dia cedinho e te via escovar os dentes sabe, te ouvia sair pra ir trabalhar. Eu sempre soube que você me amava, e que me ama seja em qualquer lugar que você esteja, e que ama demais a minha mamãe e a minha irmã.
A vovó vai ficar bem, nós vamos cuidar dela direitinho. A gente sabe que onde você estiver está olhando por nós. Pelos nossos familiares e amigos. Você teve uma legião de amigos hein meu velho. Não havia uma pessoa que o “Vande” não conquistava. Você foi, e deixou tanta saudade, tanta falta. Papai eu amo você, mamãe e a Helen mais que tudo nesse mundo. Quando que eu vou te ouvir me chamar de “Pequeno” de novo? Ou chamar minha irmã de “Fioca”? Quanta coisa você deixou. Sempre dizem por aí que morrer é uma piada, você tem mil coisas pra fazer no dia seguinte, contas pra pagar, tem que pescar até, e de repente morre. Morrer é uma piada, mas essa não tem graça nenhuma.

- Douglas Lenon

domingo, 10 de julho de 2011

acho que tô bem. não me mordo mais dormindo, tensa, tipo “de onde viemos e para onde vamos” ou pior “se Deus não existe, como faz?”. eu acordo pra morder, quer dizer, comer. e Deus deve existir, caso contrário, não existiria a banana com pão de queijo às quatro da manhã. e eu não sei de onde eu vim, mas iria fácil, agora, a uma pizzaria.

- Tati Bernardi

sábado, 9 de julho de 2011

sabe como eu sei que aposto em nós? esses dias fiz uma analogia entre seu jeito de sorrir e uma música dos Beatles.

- Gabito Nunes in Todo meu amor (all my loving)

sexta-feira, 8 de julho de 2011

muitas vezes dizemos amar, mas estamos só desrespeitando. dizemos amar, mas estamos só impondo. dizemos amar, mas estamos só olhando para nós mesmos. dizemos amar, mas estamos só fazendo adoecer as belezas disponíveis. dizemos amar, mas estamos só amarrando sementes e calando primaveras. dizemos amar, mas estamos só inflando nuvens que escondem cada vez mais o sol. dizemos amar, mas estamos só dizendo. amor tem outro cheiro. outra natureza. outra frequência. outro chamado. é para ser luz pra dois, com todas as sombras de cada um.

- Ana Jácomo

quarta-feira, 6 de julho de 2011

I miss you, daddy.


— percebeu? por alguns momentos, apenas alguns momentos, é como se houvesse assim uma espécie de esperança, de possibilidade de esperança. seja o que for, você está quase alcançando.

- Caio Fernando Abreu in Triângulo das águas

terça-feira, 5 de julho de 2011

em suma, não deve ser fácil construir uma relação perene tendo um cotidiano tão frenético: o amor necessita de dedicação. aliás, não anda fácil construir uma relação perene tendo qualquer cotidiano. a diferença entre as divas e nós é que a vida delas está na vitrine, para nosso julgamento. nossas dores ficam entre quatro paredes.

- Martha Medeiros in Divas Abandonadas pertencente a obra “Doidas e Santas”

segunda-feira, 4 de julho de 2011

a esperança era o meu pecado maior.
cada dia renovava-se a mesquinha luta que eu encertara pela salvação daquele homem. eu queria o seu bem, e em resposta ele me odiava.

- Clarice Lispector in Os Desastres de Sofia pertencente a obra “A Legião Estrangeira”

domingo, 3 de julho de 2011

1º dia - "ele me desperta sentimentos i-na-cre-di-ta-vel-men-te ternos." (Caio Fernando Abreu)


e a falta que você me faz, dá pra substituir por algo? penso em vocês todos os dias antes de dormir, antes até mesmo de pensar. sabe quando você fecha os olhos e a saída é alguém que você nem sabe se tem algum sentimento por ti, mas que te disperta sentimentos lindos. queria um primeiro dia mais conformado, porém os primeiros dias sempre são os piores, o que faz sentir mais falta, o que dá mais vontade de chorar. onde ele está nesse momento? na Bolívia, e eu nunca quis tanto ir pra um país subdesenvolvido como ando querendo nessas últimas 24 horas.

- Douglas Lenon

sexta-feira, 1 de julho de 2011

ele morreu naquele dia porque seu corpo tinha servido aos seus propósitos. sua alma havia feito o que viera fazer, aprendera o que viera aprender, e então ficou livre para partir. e eu sabia, enquanto Denny corria até o médico que iria cuidar de mim, que, se eu já tivesse realizado o que precisava realizar aqui na Terra, se eu já tivesse aprendido o que deveria aprender, eu teria atravessado a rua um segundo depois, e teria sido morto instantaneamente por aquele carro.
mas eu não morri. porque não tinha acabado. ainda tinha trabalho a fazer.

- Garth Stein in A Arte de correr na chuva