quarta-feira, 9 de novembro de 2011

você não sabe (ou sabe), mas as pessoas estão lendo mais, tentando sentir mais, sorrir mais, se comunicando e compartilhando mais, escrevendo mais, emburrecendo menos com a televisão e comendo menos morangos mofados. tem que ver, coisa mais linda. de um jeito esquisito, prático e por vezes frívolo, é gente interligada pelo fio condutor do trabalho, das coisas, da saudade que você deixou. é como se todos fôssemos um, como se cada um de nós fôssemos responsáveis por respirar uma célula do seu corpo. anos depois, só agora. é tudo tão irônico, não?

- Gabito Nunes in Carta aberta para Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário