terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Homem de qual sonhos?


começando de novo, novinho em folha. queria um ano sem muito sensacionalismo, um ano mais cheio de emoções do que tradições. me apaixonar não faz parte do que eu peço pra esse ano. viajar talvez seja a solução pra todos os problemas, nesse momento, é claro.
se você começa o ano na praia e de fato começa a andar no calçadão, logo vem na sua mente: vai aparecer um cara com um sorriso perfeito, um corpo de parar o trânsito, um olhar de congelar e o melhor, é lógico que ele vai esbarrar em mim e vai me dar oi, e vai dizer uma sequência de coisas. não se contentando ele vai me levar em um desses quiosques que vendem água de cocô e perguntar se eu quero um e vai dizer que fica por conta dele, depois vamos caminhar e ele vai pedir meu telefone e a gente vai se encontrar no dia seguinte pra conhecer as outras praias da região e então chega o mais esperado beijo de tirar o fôlego. passado esse momento de lucidez, você acorda na sua casinha humilde de frente pra avenida menos movimentada que possa existir no universo.
cansei de sonhar, acho que de tanto sonhar posso começar a escrever um roteiro pra novela das seis, aliás, eu e mais de 50% da população mundial. a gente fantasia o cara, o emprego e os filhos dos sonhos, e realmente é só fantasia – nada sexual, digasse de passagem.
nesses momentos que bate a lucidez é que devemos pensar que o cara sarado não tem um número de telefone pra ligar quando bate a carência, ele tem 6, 12 números. e você tem quantos? não, o do melhor amigo não vale. existe muitos outros caras legais por aí, e posso dizer que nos sarados geralmente encontramos decepções.
nós assim, desse jeitinho do bem de ser, temos poucas opções e as vezes nem opções temos. depois de um tempo você começa a não mais reparar naquele tanquinho, naquele braço forte, mas sim naquele cheiro, no sorriso. homem dos sonhos ficou no ano passado, esse ano eu quero o homem da minha vida mesmo.

- Douglas Lenon

Um comentário: