segunda-feira, 23 de abril de 2012

mas sei que hoje é um grito. um grito! de cansaço. estou cansada! é óbvio que o meu amor pelo mundo nunca impediu guerras e mortes. amar nunca impediu que por dentro eu chorasse lágrimas de sangue. nem impediu separações mortais. filhos dão muita alegria. mas também tenho dores de parto todos os dias. o mundo falhou pra mim, eu falhei para o mundo. portanto não quero mais amar. o que me resta? viver automaticamente até que a morte natural chegue. mas sei que não posso viver automaticamente: preciso de amparo e é do amparo do amor.
09 de março de 1968

- Clarice Lispector in O Grito pertencente a obra "A Descoberta do Mundo"

Nenhum comentário:

Postar um comentário