sábado, 18 de agosto de 2012

silêncio, ando obcecado por silêncio. um silêncio que te permita ouvir o ruído do vento. e o bater do coração. e se possível isso que chamamos de Deus, existindo devagarinho em cada coisa. existe sim.
21 de setembro de 1983
 
- Caio Fernando Abreu in “Cartas” à Maria Adelaide Amaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário