quarta-feira, 23 de janeiro de 2013


sabe qual é a triste verdade? as pessoas gostam do sentimento de saber que alguém corre por elas. as pessoas gostam de saber que tem o domínio sobre outra pessoa. as pessoas fingem precisar de quem não precisam, pelo simples fato de quererem se sentir amadas. as pessoas apaixonam umas as outras, sem a intenção de estar junto. as pessoas gostam dos finais, e fazem de tudo pra jogar a culpa do outro lado. a maioria não ama, faz amar. e nunca são o que se dizem ser.

- Sean Wilhelm

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013


mas Cris Guerra, não deixou a peteca cair e, além de um belo livro, nos deixou um recado valioso: a vida não apenas continua, ela sempre recomeça.

- Martha Medeiros in Para Francisco e todos nós pertencente à obra “Feliz por nada”

domingo, 13 de janeiro de 2013

Crise dos 20

mais um ano que se inicia e ontem o completei meus 20 anos no dia 12 e amanhã dia 14 o blog segue para o seu 4º ano de existência. só tenho a agradecer a presença de cada um, as dicas dos blogs, o carinho de vocês, os e-mails, os desabafos, os conselhos. afinal o que seria do "eu te toco também" sem cada um de vocês. obrigado por mais um ano! obrigado por tudo!

- Douglas Lenon

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

e aquele cara mais novo, e aquele outro mais velho, e aquele outro que escreve, e aquele outro que faz filme, e aquele outro divertido, e aquele outro da festa, e aquele outro amigo daquele outro. e todos aqueles outros viram formiguinhas de nariz vermelho. e eu tenho vontade de ligar pra todos eles e falar: putz, cara, e você acha mesmo que eu gostei de você?

- Tati Bernardi

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013


aliás ele é uma pessoa inteira. seus olhos muito negros não se desviam: ele não tem medo de olhar os homens no profundo dos olhos. dá vontade de sorrir com ele. se eu soubesse. aliás, preciso me habituar a sorrir mais, senão pensam que estou com problemas e não com o rosto apenas sério ou concentrado. voltando ao homem: quando ele diz até amanhã, sabe-se que o amanhã vira. ele tem um ligeiro mau gosto na escolha dos objetos de adorno que compra. isso me dá ternura. ele é inconsciente que eu o vejo tanto, não tantas vezes, mas tanto.
11 de abril de 1970

- Clarice Lispector in Um homem pertencente a obra "A Descoberta do Mundo"

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013


eu te amei muito. nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube. pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar. pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver nem medo nem coisas falsas. há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. são coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas – se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi elas, caso contrário não será preciso.
21 de março de 1972

- Caio Fernando Abreu in “Cartas” à Vera Antoun

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

não tenho nada pra dizer, como pode ver. só acho que estamos nos vendo pouco, em momentos demasiado formais, com montes de gente na volta. queria jogar umas pedras no rio contigo, sem precisar falar nada. não curto muito falar, tu sabe.

- Gabito Nunes in Não tenho nada pra dizer

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

domingo, 6 de janeiro de 2013


e eu estava só começando a entrar num estado de amor por você. mas não me permiti, não te permiti, não nos permiti.
10 de agosto de 1985

- Caio Fernando Abreu in “Cartas” à Sérgio Keuchgerian

sábado, 5 de janeiro de 2013

27º dia - "lembra de você a cada manhã. pensar em você para dormir melhor." (Tati Bernardi)

fim de tarde de um sábado, pra quem não sabe esse é o momento de desespero para os casais de anos. o que fazer? onde ir? tem que dormir tarde mesmo?
não lembro de termos passado por isso. éramos tão criativos, até mesmo pra ir em casas de tios chatos, em relação ao que fazer no sábado a noite e olha só que ironia: o tempo passou e você foi junto sem me dar a mão. confesso que sinto mil e um tipo de saudade de você. se existissem tipos de saudade, é claro. fica um vazio de sempre nesses sábados a noite os quais a gente tinha sempre uma fuga, mais conhecida como o corpo do outro pra se esconder.
fica só o que a gente pensa que não iria ficar. fica a saudade dos dias que não voltam e dos lugares que tinham um outro significado quando a gente ia juntos. fica você no pensamento. fica a lembrança do tempo da nossa felicidade. fica o fim do nosso felizes para sempre.

- Douglas Lenon