domingo, 3 de fevereiro de 2013


cortejo o mar em prata e penso se é feito de pingos de lágrimas de todos os amores do mundo que não são como o nosso. dou os ombros e lembro do amasso que usei para te confundir. e lembro da tua gargalhada alta apostando corrida pra ver quem entrava antes no banheiro depois da viagem. e lembro de mim desatando o riso também porque a chave de casa estava comigo.

- Gabito Nunes in Mar e Ana pertencente a obra "A manhã seguinte sempre chega"

Nenhum comentário:

Postar um comentário