quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Tanto faz e tanto fez


sinto sua falta. acho que não havia outra forma de começar essa carta pra você, como dessa forma que eu começo. sinto sua falta e não consigo te dizer isso. já viu alguém não conseguir dizer que sente falta de alguém? eu queria sentir sua falta e não me sentir culpado por sentir sua falta. eu sinto falta da tua risada e das tuas piadas. principalmente das tuas piadas! sinto falta de desenhar um futuro com a gente bem velho juntos. eu prometi que nessa virada de ano tudo que eu mais quero desejar é saúde e desejo em dobro pra você!
queria as coisas novamente como sempre foram e queria mais. queria que a gente desse risada de tudo isso e queria tanto que fosse hoje e queria tanto que fosse agora. eu tenho um milhão de motivos para deixar as coisas como elas são, mas o fato é que eu parecia ser mais legal com você por perto ou você parecia ser mais legal comigo por perto ou nós parecíamos mil vezes mais legais perto um do outro.
sinto sua falta. e queria que as coisas soassem tão mais sinceras. sinto sua falta como quem perdeu o par do tênis preferido. sinto sua falta e sinto ainda mais falta de quando a gente começava a sonhar coisas dentro do seu carro e ficar horas pensando em qual passo dar no próximo dia, ou na próxima semana, ou no próximo mês.
sinto falta de ver você bêbado! sinto uma puta falta disso e sei que você vai dar risada quando ler isso. sinto falta de passar por uma rua bem famosa da Praça Osório, não que eu tenha parado, mas eu sinto falta de fazer isso junto com você. sinto falta das neuras do Lu misturadas com as tuas sinceridades ácidas. sinto falta porque ficou um vazio que ninguém preenche. reza uma lenda de que vaga de melhor amigo não se preenche, não é emprego que entra outro no lugar e também não é vaga. é... cargo. porque só existe ele e é direcionado pra pessoa certa ou pra pessoa errada, depende do ponto de vista.
hoje, no seu aniversário, esquece tudo que doeu, esquece tudo que fez mal. queira o bem , pois estou te querendo muito bem nesse momento. de tudo isso, tudo que eu sinto falta, me ficou uma coisa tão boa de você, tão sincera e por que não doce?
sinto falta de me contar pra você. sinto falta de beber no Guabi porque os amigos de verdade costumavam beber lá. sinto falta do macarrão com molho branco ou seja lá o que foi que você fez aqui na minha casa. sinto falta de começar a fazer academia com você e não começar a fazer academia com você, se é que você me entende. sinto falta de ser mais louco que biarticulado na graciosa.
creio que essa carta foi muito mais pra mim, que precisava dizer ou que precisava contar, do que pra você. espero que exista em algum lugar por aí um meio da gente continuar, ou da gente crescer sem deixar as coisas saírem dos seus devidos lugares. muita força pelo que há de vir, muita fé pelo que há de se sonhar e muito foco no que há de mais especial no mundo: os amigos.

- Douglas Lenon

Um comentário: