segunda-feira, 25 de março de 2013

Que a gente...


que a gente nunca esqueça de lembrar e que a gente nunca lembre de esquecer. que a gente nunca sofra por amor e que a gente nunca ame esse sofrer. que a gente chore de tanto rir e que a gente ria de tanto chorar. que a gente cuide do nosso querer, e que a gente queira nos cuidar. que a gente brinque de ser feliz e que a gente seja feliz brincando. que a gente se machuque de tanto tentar e que a gente tente sem medo de se machucar. que a gente espere sem ter pressa e que a gente tenha calma pra poder esperar. que a gente sonhe com o que a vida tem pra nos oferecer, e que a gente viva nesse sonho que a vida nos deu. que a gente escolha para que não escolham por nós. que a gente veja razão e que a gente não se iluda. que a gente se justifique e que a gente nunca se explique. que a gente possa entender que a gente nunca se entende.

- Douglas Lenon

domingo, 17 de março de 2013

entendeu alguma coisa? não? ok, perfeito assim. se você entendesse, eu ficaria triste por ter conseguido explicar algo sem explicação. e é isso: de onde eu vim, sentimentos são inexplicáveis, mas explicam todo o resto. amor é um sem sentido sentir e dar sentido a tudo. e este tudo, agora, é você. juro.

- Hugo Rodrigues

sábado, 16 de março de 2013


e eu encoxo uma das pernas entre as tuas. e com a outra enfeito tua cintura. um abraço acarinha teu cangote. e o outro descansa no teu seio esquerdo. e penso que se eu tivesse mais braços e mais pernas pra dar, estariam todos em volta de ti.

- Gabito Nunes in Mar e Ana pertencente a obra “A manhã seguinte sempre chega”

terça-feira, 12 de março de 2013

você me ensinou muita coisa, a te respeitar, te admirar, te querer, só não me ensinou a te amar, isso aprendi sozinha. sabe, quando estamos distantes, mesmo que por horas, sinto muita saudade, de dormir abraçada, de encaixar o rosto no vão das suas costas e querer ser embalsamada ali por mil anos. eu sei que eu posso muitas coisas sem você, e eu sei que, se eu tomar um banho quente e comprar uma roupa nova, talvez eu possa querer uma coisa que seja, só uma, sem você. nada muda no mundo quando você não caminha ao meu lado, as pessoas quase não percebem que falta metade do meu corpo e que eu não posso ser muito simpática porque toda a minha energia está concentrada para eu não tombar.

- Tati Bernardi

domingo, 10 de março de 2013


lutei toda a minha vida contra a tendência ao devaneio, sempre sem jamais deixar que ele me levasse até as últimas águas. mas o esforço de nadar contra a doce corrente tira parte de minha força vital. e, se lutando contra o devaneio, ganho no domínio da ação, perco interiormente uma coisa muito suave de se ser e que nada substitui. mas um dia hei de ir, sem me importar para onde o ir me levará.
25 de abril de 1970

– Clarice Lispector in Ir contra uma maré pertencente a obra "A Descoberta do Mundo"