quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Faz de conta


faz de conta que não doeu e passa a mão no coração. porque tudo é mais fácil, afinal existe a palavra: desculpa. de uma hora pra outra os dedos começam a tremer, na hora tem coisas que a gente leva na brincadeira pra fingir que não doeu. sabe o que é o mais inacreditável de tudo? eu não tenho absolutamente nada a ver com você. e o mais engraçado de tudo? eu acredito em você.
vivo nesse faz de conta. faz de conta que a gente ama e é correspondido, faz de conta que a gente mente e todo mundo acredita, faz de conta que a gente é feliz e nem liga em ficar sozinho, faz de conta que a gente quer alguém por perto mas que seja só pra se apoiar, faz de conta que todo mundo se importa e pensa em você, faz de conta que não dói e chora de alegria, faz de conta que "desculpa" virou "com licença", faz de conta que o corpo todo estremece... de frio.
não queria que tudo isso soasse meio autoajuda sabe? e parece autoajuda. você faz o máximo pra que tudo saia perfeitamente conforme tudo aquilo que você colocou no papel, e de repente o mocinho fica com a vilã, tudo vai virando de cabeça pra baixo sem que a gente tome controle e vai dando aquela vontade de excluir todo esse pensamento que eu criei, porque às vezes não faz sentido algum pra mim, eu sou feliz entende? eu não tenho do que reclamar. eu não quero ser um coitado! agora falando de pseudo escritor para todos os blogueiros e até mesmo escritores de guardanapo: dá vontade de desejar uma coisa bem bonita toda vez que a gente escreve com o coração não é verdade? eu desejo paz pra vocês, e eu desejo muita coragem pra mim.

- Douglas Lenon

Um comentário:

  1. a gente vive tanto faz-de-conta qnd é criança, q leva isso pro resto da viiida!

    amei o texto!
    parabéns!!!

    ResponderExcluir