domingo, 9 de setembro de 2012

Baralho

correndo e esperando uma vida de verdade que traga outras verdades pra gente acreditar. de repente você começa a olhar pra quem está constantemente ao seu lado e parece viver com a cabeça a mil milhas longe de você. de um modo ou de outro entendemos que a vida é esse "basear-se em fatos reais" que não tem nada a ver com o que a gente tinha sonhado. as vezes o coração é tão fechado que ele mal sabe dizer o quanto você é importante.
um ser humano de verdade talvez busque um outro que não tenha nada muito parecido com o que se vê a todo tempo. se tudo que um dia a gente combinou for verdade, quem dera por um erro nossas certezas darem certo. tenho pensado que a vida é feita de cartas de baralho e que dá um medo de descartar um valete de coração (copas) e comprar um az de ouros sabe?
verdade mesmo é que eu não sei a que pé estamos ou a que constelação nós fazemos parte só sei que a incerteza de um carinho ou ter que pedir por um beijo vai mostrando que somos um casal de favores, vivemos a mercê de trocas, esperando alguém dar o primeiro passo ou o primeiro deslize. somos casais de ônibus de linha, que se apaixonam só pelo caminho até chegar o ponto em que um dos dois tem que descer. temos a certeza de que estarmos juntos não é uma obrigação, mas que nenhum de nós tem certeza se é realmente certo estarmos juntos, e tenho medo, medo de me entristecer e se decepcionar quanto ao que oferecemos durante esse tempo.
que se for pra ser de mentirinha, eu quero que seja uma mentira que iluda ao menos. se for pra ser de verdade, que exista mais beijos durante essa caminhada, e que se for pra ser de brincadeira, tá na hora de embaralhar as cartas.

- Douglas Lenon

Nenhum comentário:

Postar um comentário