terça-feira, 18 de outubro de 2011

O tudo que faltava, talvez seja você


você prometeu que ia segurar minha mão quando doesse muito lembra? e eu queria saber, porque a sua vida é tão mais interessante do que aquilo que eu tenho pra contar, também queria saber qual é o sentido da gente estar junto, se você mata o amor a todo momento. amor é você ser meu cumplice entende? é você ser a pessoa a qual eu corro pra contar o que eu descobri. qual é o segredo de ter uma vida fabulosa a qual não te deixa pensando em como eu me sentiria se você perguntasse como eu estou, ou até mesmo se eu gosto do jeito que você me trata? nunca passou pela sua cabeça que eu também me machuco.
eu espero demais. eu acredito que existe pessoas boas que vão perguntar pra mim o que eu fiz. tem pessoas no mundo que se importam, mas a gente ainda nem encontrou com elas. na verdade elas se escondem e você quer muito aquilo que você oferece. no fundo somos eternos egoístas que damos pedindo em troca.
eu quero ser doce com você, porque eu vejo em nós algo que poderia dar certo: você não tem nada a ver comigo. você não gosta da melancolia, tem um estilo pessoal digamos um pouco mais social, expressa o carinho que sente em algumas pitadas apenas. o tudo que faltava talvez seja você. e essa frase acredite não é minha, mas penso que você pode querer muito mais, e eu acredito em tudo, desde a sua vontade louca de querer morar em um país oriental até sua vontade de querer me contar a verdade sobre o que você realmente passa e de como é a sua vida.

- Douglas Lenon

Nenhum comentário:

Postar um comentário