domingo, 13 de maio de 2012

Minha pequeninha, minha mamãe

quem disse que a mulher mais perfeita do mundo não existe é porque não conheceu minha mãe. ter que crescer e bater asas pra outro lugar faz com que eu me sinta tão culpado em deixá-la, não que eu vá esquecê-la mas que uma hora ou outra eu vou ter que fazer isso. minha mãe é a maior joia que eu tenho, a melhor pessoa do mundo se resumi no único ser que conforta todas nossas dores, que se importa, que se preocupa, que entende, que perdoa, que cuida, que aconselha, que conforta, que acima de tudo isso - que ama.
junto dela a gente vê a simplicidade nas mínimas coisas, até mesmo quando ela fala aquela palavra difícil errado, quando trava a língua dela, e você começa a dar risada deixando ela sem graça, você se pega imaginando que esse é o lado bom da vida. que o coração mais puro vive dentro da sua casa, que deu a luz por você, te coloca em um pedestal todos os dias da sua vida.
não gosto de generalizar as coisas porque sei que existem mães que nem mereciam um dia desses, mas a minha mãe, é diferente, ser mãe não é o ato de ter um filho - de gerar uma vida. ser mãe vai além das expectativas de qualquer estatística, ser mãe é dar a outra metade que sobra do pão pro filho que ainda sente fome, é abrir mão de um futuro propício a ela e deixar que o filho escolha seu caminho e capacite-o para seguir em frente.
quando penso que um dia vai chegar minha hora de ter uma criança nas minhas responsabilidades, não sei o que pensar, melhor que minha mãe, nem uma cópia dela. mas se ao menos fazer com que ela sinta orgulho de ser avó e fazer com que eu consiga retribuir ao menos metade de todo o amor, de todo o carinho, de tudo que ela me deu, eu vou ser inesplicavelmente feliz.
olhar pra frente é o reflexo de tudo que você fez por mim, mãe. eu aprendi a não desistir com você, aprendi a persistir. aprendi que não adianta sofrer pelo que não vai acontecer, e sim que temos que aproveitar tudo que temos agora. aprendi que amor não é só falar "eu te amo", é deixar a comida no prato só pra eu esquentar e não ir dormir com fome. aprendi que quando você dizia que não, não era porque não gostava de mim, mas porque ia doer demais me ver sofrer.
peço desculpas mãe pelas vezes que não deu certo, que eu errei com você, que acabei falhando sem querer falhar contigo, eu amo você minha pequenininha e isso é o mais importante que eu tenho pra te oferecer.

- Douglas Lenon

2 comentários:

  1. É assim mesmo que acontece comigo o coração aperta qaundo penso que um dia vou ter que bater asas. Fico imaginando que vou sentir falta do seu carinho logo pela manhã, do seu beijo de boa noite.
    Ela sempre será meu espelho e meu ombro amigo..
    Lindo texto Douglas!
    bjus

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado Juliana! É realmente desse modo que nos sentimos, bate saudade antes de ir.
    Beijão!

    ResponderExcluir