sexta-feira, 20 de maio de 2011

Be Happy

sabe aqueles momentos que você se frustra por qualquer bobagem? que você esta mais frágil que uma porcelana? são nesses momentos que você levanta a cabeça e segue em frente.
isso acontece quando seu coração não aguenta mais conhecer o sofrimento, não aguenta mais saber o que é saudade, o que é querer alguém por perto e não poder ter.
pensa que não tem mais saída, que sua vida acabou mais não, levante-se, você ainda tem muito pra ver.

você agora sente que precisa muito dele pra poder sobreviver e algum dia ser feliz, mais acredite, o sol vai e deixa a escuridão, mais ele volta, nada pode impedi-lo. faça com que nada possa te impedir a voltar a ser feliz.

pense o que quiser, sonhe o que quiser, apenas aproveite o máximo que puder, você quer desistir, você quer atenção, mais não se deixe cair, pela primeira vez não vá pelo coração, ouça a razão.

a sua vida não vai terminar essa noite, vá curtir, vá se divertir, estamos no meio de mais de oito bilhões de pessoas não se deixe abalar por apenas uma que esta nesse meio, eu sei que é difícil, eu sei como é amar alguém e não ter a certa consideração, isso corrói por dentro, como se fosse um vírus maligno, capaz de destruir a sua vida, mais não o tema. seja mais forte, você pode.

e sim, a vida é o que fazemos dela, sempre tem seus altos e baixos, temos que estar satisfeitos, pode ter momentos difíceis, mais pare pra pensar, você sempre supera todos eles... não importa o quanto seja "foda", ou o quanto você tenha que lutar, mais tente sair ileso e vencedor, às vezes tem as derrotas, mais depois passe por cima, não deixe sua fé andar sobre cacos de vidro sempre.

- Bam

é uma longuíssima história. na verdade é uma carta, não uma crônica.
eu recebi essa crônica, dia 03 de agosto de 2009. sim, eu. quem escreve
nesse blog, não fazia nem um mês direito que eu conhecia ele. eu não sei
até hoje se ele realmente existiu, ou se eu fantasiei ele. sei que tudo que ele
escreveu aí, não fez mais sentido a partir do dia 17 de agosto de 2010.
quando eu deletei ele da minha vida. eu não queria sentir raiva ou rancor,
ou qualquer outra coisa que faça mal, mas é inevitável, ele me machucou
tanto, tanto, tanto... que eu espero que fique mais pena que ódio dele
dentro de mim. tudo nele foi uma farça, não sei nem o nome dele, tudo
foi uma farça. às vezes acho que ele inventava também o amor, o apelido
dele era esse: Bam. tenho saudade das coisas boas dele, sim. não sou
hipócrita em dizer que não, mas que ele esteja bem, onde quer que esteja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário