segunda-feira, 16 de maio de 2011

Do que eu lembro de você


você foi o sonho mais ridículo que eu já sonhei, a pior piada que alguém já contou, chega uma noite fria e um pouco solitária e você resolve aparecer, não, não é em corpo, carne e osso não, é em pensamento. você é um maldito fantasma, o qual insiste me assombrar a cada erro meu, você não é absolutamente nada, você é o nada.
tenho me movimentado tão pouco devido o nada que me persegue, odeio tudo que te faz e te fez bem, sua mania de rir quando fica nervoso, teu olhar de negação para as minhas escolhas, seu tênis preto com branco que te faz parecer mais um menino do que um homem. e é por isso que eu continuo escrevendo, porque você não passa de um menino.
hoje venho dizer o quanto eu te anulo, do quanto você não significa nada, que você não merece nem o meu resto, nem o que eu ouso pensar e muito menos o que eu sinto. você não merece nem a si próprio. da vida que te engana e te faz desistir de tudo, da vida que te maltrata e te faz pensar no dia de amanhã, da vida que te consome e te deixa triste a cada segundo por tanto ódio, tanta falta de felicidade porque ódio é forte demais. da vida que te mata.

- Douglas Lenon
05 de maio de 2011

2 comentários:

  1. que intenso
    parece q todo mundo vive algo assim
    tão linda a sua escrita...
    bjos

    http://rgqueen.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Intenso *-*
    Bela escrita..estou passando por isso

    ResponderExcluir