domingo, 20 de novembro de 2011

O que não é da sua conta


se eu falo sério, eu tô com ciumes, se eu falo rindo, eu tô sendo irônico. como que você quer que eu me expresse então? chorando pareceria emocional pra você? não vejo outra saída se não, não falar. não somos mais um casal faz um tempo já e não vejo problema nenhum em você falar sobre seus relacionamentos pra mim. não falar sobre seus relacionamentos faz parecer que alguém aqui ainda não levou tudo que deixou.
faz tanto tempo que eu não sei o que eu sinto por você, talvez descaso, mas descaso não é sentimento. só que dizer assim na lata que você não significa mais nada pra mim é tão complicado, machuca muito mais em mim do que em você. sim, a gente transou semana passada, e daí? foi só sexo, quem é você pra parar na porta da minha casa e dizer que se sente mal, mas que não sabe com o que. eu acho que você se sente igual eu me sentia das vezes que era eu a pessoa usada sabe? isso que você tá sentindo agora é uma sensação de que você serviu pra aliviar a vontade de alguém. isso é tão... tão... triste, porque eu me descrevo vendo você.
igual aquele dia que a gente saiu e no fimzinho da noite você virou pra mim e falou: não é nada, eu só não quero você hoje. você sabe quantas vezes isso martelou na minha cabeça? não consigo fazer uma somatória, porque no dia, foram muitas vezes. e hoje, hoje eu não quero você, só isso. como diz em um texto que eu vi por aí: só isso tudo. não importava pra você qual era o meu gosto, o meu cheiro, ou até mesmo a minha cor preferida. você lembra do perfume que eu usava? não, você não lembra. e eu? eu lembro até qual era o seu livro favorito. lembro da música que você mais gostava, do seu prato favorito, até do seu café com duas colheres de açúcar eu lembro. eu só não lembro de você, não sei o que me encantou em você, acho que só pode ter sido o sexo, porque o sexo foi bom, o sexo foi extremamente bom.
hoje eu sou um pouco mais frio, você reclamava do sentimentalismo barato, pronto tá aí a frieza que você tanto pedia indiretamente. eu entendo hoje como é não conseguir olhar nos olhos da pessoa que a gente usa, porque eu se quer consigo olhar nos seus. eu me sinto muito mais limpo que você e tenho nojo de enconstar tua pele na minha. não basta você aqui de frente comigo, eu tenho que falar tudo agora, porque eu sei que quando você sair daquela porta eu vou me arrepender de cada palavra que eu disser, então você vai me ouvir, ah se vai.
você é uma criança, mesmo eu sendo muito mais infantil que você. você é um babaca, e tão inútil que só serve pra umazinha, você fala umazinha né? esqueci de mencionar o quão engraçado você é. você pensa que é inteligente e que pode conquistar mas não é bem assim. e ainda haviam boatos de que eu sentia pena de você, mas não, e você lá merece um sentimento meu? você é arrogante e eu tenho vontade de pisar em você, ou cuspir na sua cara.
termino isso tudo agora porque já me humilhei demais, e você serve de inspiração, acordar e lembrar que você existe, me dá vontade de viver mais sabia? pra poder esfregar na sua cara o quanto você é medíocre, mesquinho e insignificante. eu ia casar com você, você me pedia em casamento depois de gozar, e você acha que saía por cima ainda? eu dizia que te amava depois de gozar. boa noite príncipe encantado, ou melhor bom sonhos.

- Douglas Lenon

Um comentário:

  1. Oi,
    sou David Iannini(Produtor de moda e Styling, e editor do blog Acordei Fashionista).
    Encontrei seu blog em buscas pela net, adorei o espaço!
    Aproveito para deixar o link do meu blog!
    http://acordeifashionista.blogspot.com/
    Se curtir me segue(sigo devolta).

    Não importa como vc está se sentido hoje: levante-se, vista-se, e brilhe!

    Abraço!

    ResponderExcluir