sábado, 29 de maio de 2010

Assim, de mão beijada, não


depois de tudo, de todos os anticorpos que eu criei pra me defender desses golpes de amores baixos, de todas as armas que eu aperfeiçoei em mim pra cada batalha dessa guerra sem fim. depois de eu ter levantado a bandeira branca, você quer vim pra mim. me faz pensar que tudo que eu fiz foi em vão, que mais cedo ou mais tarde você viria até mim. mas assim eu não quero, eu batalhei demais pra chegar até aqui, desistir, e você se entregar na frente da minha derrota. eu queria você demais, mais-que-o-demais. e você vem a mim com essa cara de prêmio de consolação. e deixo claro que eu não batalhei o tempo todo por um prêmio desse porte.
então vai, me deixa aqui pelo amor de Deus, dessa vez vai sem qualquer pedaço meu. vai chorar em outros ombros, que esse meu aqui tá meio molhado demais. vai se encontrar e volta pra mim em você, eu não quero anything sua, eu quero everything seu. não, hoje em dia não dá pra se contentar com pouco, pro muito que eu tenho pra oferecer.

- Douglas Lenon
29 de maio de 2010

2 comentários:

  1. "hoje em dia não dá pra se contentar com pouco, pro muito que eu tenho pra oferecer."

    bem verdade mesmo, nunca devemos nos contentar com pouco mesmo que, as vezes, a gente ceda um pouco! e você sempre me descrevendo por aqui :)

    ResponderExcluir
  2. "depois de tudo, de todos os anticorpos que eu criei pra me defender desses golpes de amores baixos, de todas as armas que eu aperfeiçoei em mim pra cada batalha dessa guerra sem fim."
    acho que seus anticorpos são iguais aos meus, haha
    I love you so much (L)

    ResponderExcluir