sábado, 19 de fevereiro de 2011

mas o que eu mais gostava era quando ele falava em não ter lembranças. nenhuma lembrança do que ele tinha acabado de fazer. fossem boas ou ruins. porque a lembrança é o tempo se dobrando sobre si mesmo. lembrar é se desligar do presente.

- Garth Stein in A Arte de correr na chuva

Nenhum comentário:

Postar um comentário