terça-feira, 1 de março de 2011


estou precisando de um determinado acontecimento sobre o qual não posso falar. e dá-me de volta o desejo, que é a mola da vida animal. eu não te quero para mim. não gosto de ser vigiada. e você é o olho único aberto sempre como olho solto no espaço. você não me quer mal mas também não me quer bem. será que também eu estou ficando assim, sem sentimento de amor? sou uma coisa? sei que estou com pouca capacidade de amar. minha capacidade de amar foi pisada demais, meu Deus. só me resta um fio de desejo. eu preciso que este se fortifique. porque não é como você pensa, que só a morte importa. viver, coisa que você não conhece porque é apodrecível – viver apodrecendo importa muito. um viver seco: um viver o essencial.

- Clarice Lispector in O Relatório da Coisa pertencente a obra “Onde estivestes de noite”

Um comentário: