quinta-feira, 10 de março de 2011

parece-me agora, tanto tempo depois, que as partidas-dolorosas, as amargas-separações, as perdas-irreparáveis costumam lavrar assim o rosto dos que ficam. e do buraco negro da memória que ocupa agora o espaço anteriormente ocupado por essa pessoa — sim, era uma pessoa que não lembro —, em vez de faces, jeitos, vozes, nomes, cheiros, formas, chegam-me somente emoções confusas ou palavras como estas — doloroso, amargo, irreparável.

- Caio Fernando Abreu in Triângulo das águas

3 comentários:

  1. Caio F. em mais uma de suas narrativas/desabafos/descrições intensas e fascinantes.

    lindo blog.

    ResponderExcluir
  2. Porque ele já se foi e não volta mais.

    ResponderExcluir
  3. Douglas que post perfeito!
    Sempre Caio F.
    Talvez não lembre porque já tornou-se passado,e permitiu-se esquecer.
    Passei para visitar seu cantinho e vou ficar sem dúvida,os posts aqui tem todos um significado diferente!
    Se quiser me faça uma visita,fica o convite
    evidentespensamentos.blogspot.com
    Beijos de boa noite!

    ResponderExcluir