sábado, 16 de janeiro de 2010

podia esperar de qualquer um essa fuga, esse fechamento. mas não em você, se sempre foram de ternura nossos encontros e mesmo nossos desencontros não pesavam, e se lúcidos nos reconhecíamos precários, carentes, incompletos. meras tentativas, nós. mas doces. por que então assim tão de repente e duro, por quê?

- Caio Fernando Abreu in Diálogo

Nenhum comentário:

Postar um comentário