segunda-feira, 5 de abril de 2010

aí ele chega, tão lindo. e vai embora, tão feio. e liga, tão bobo. e some, tão especial. e eu morro, ainda que não ligue a mínima. e eu to nem aí, ainda que pense o tempo todo em não estar nem aí. e eu abro a porta, a perna, a alma. e quanto mais abro tudo, mais me fecho. e sigo intacta, ainda que toda esburacada. e tenho a plena certeza que cometo o maior erro do ano, ainda que eu não duvide que todos os acertos são mesmo feitos assim: quando a loucura nos vence de alguma forma.

- Tati Bernardi

Nenhum comentário:

Postar um comentário