quarta-feira, 28 de abril de 2010

sinto falta da perdição involuntária que era congelar na sua presença tão insignificante. era a vida se mostrando mais poderosa do que eu e minhas listas de certo e errado. era a natureza me provando ser mais óbvia do que todas as minhas crenças. eu não mandava no que sentia por você, eu não aceitava, não queria e, ainda assim, era inundada diariamente por uma vida trezentas vezes maior que a minha. eu te amava por causa da vida e não por minha causa. e isso era lindo. você era lindo.

- Tati Bernardi

Nenhum comentário:

Postar um comentário