sexta-feira, 2 de abril de 2010

quando partiu, levava as mãos no bolso, a cabeça erguida. não olhava para trás, porque olhar para trás era uma maneira de ficar num pedaço qualquer para partir incompleto, ficado em meio para trás. não olhava, pois, e pois não ficava. completo, partiu.

- Caio Fernando Abreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário