sexta-feira, 26 de março de 2010

Eu só queria cuidar de você

aonde que eu vou para? será que essa seria a pergunta do dia, ou até mesmo do milênio. eu pensei que havia explorado todos meus limites. na verdade, eu explorei todos — ou quase todos. me esqueço de um deles que eu deixo adormecido, eu tenho medo até de passar do lado. parece que a qualquer momento ele pode acordar ou até mesmo ele possa se perder de mim. nessas horas de solidão inevitável, eu sento a poucos metros de distância desse sentimento e sem perceber começo a conversar com ele. não necessariamente com ele, mas só o fato de eu soltar tudo que tá aqui dentro, já me faz sentir melhor.
te ver dormindo assim me da vontade de te abraçar, de cuidar de você. esse rosto não pode ser seu — ele tem que ser meu. não eu não sou tão possessivo assim. mais de alguma forma parece que você não existe, até mesmo existindo eu tenho medo de que a qualquer momento você possa desaparecer sem deixar rastros. te jurei amor eterno veja que loucura, você deveria ter me internado quando eu disse isso. eu disse que se eu não conseguiria ficar um mês sem te ouvir, me mataria por medo de esquecer tua voz. e quando começamos a discutir sobre a falta que você me fazia, você sempre achou um absurdo eu sentir tanta falta assim de você.
trilhando um novo caminho você começa a aprender outras coisas, e vê que a conversa tem que ser outra, nessa história de 'eu cuido de você', eu fico de escanteio. eu apenas cuido. parece que só sei lidar com a espada, e onde fica meu escudo? eu também quero alguém pra cuidar de mim. eu preciso de alguém tanto quanto você, eu mereço alguém tanto quanto você. e chega de promessas porque eu espero você, com tristeza não vou negar, lembra o lance de você entrar com a felicidade eu entrar com a tristeza pra balancear o relacionamento. mais se apresse porque os 45 do segundo tempo já passou e você tem os acréscimos pra me fazer acreditar em tudo de novo.

- Douglas Lenon
26 de março de 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário