segunda-feira, 15 de março de 2010

não existe separação sincronizada, e essa talvez seja a grande dor do adeus. quem é dispensado carrega a mágoa de não ter sido consultado, de não ter tido a delicadeza de um aviso prévio, e pior, de ver-se frente a frente com um destino que lhe foi imposto. mesmo não havendo mais amor, o orgulho fica sempre machucado.

- Martha Medeiros in Quando um não quer pertencente a obra "Trem-bala"

Nenhum comentário:

Postar um comentário