terça-feira, 31 de agosto de 2010

falo da vida como se fosse um verbo no passado, alguma coisa que costumava ser e hoje só me lembro. falta tempo, falta apego, faltam laços e sobra essa mania de descrever o sentimento dos outros que não sabem dizer. sobrevivo das lembranças, tão alheias e mais coloridas do que eram realmente, quando chamadas de presente.

- Verônica H.

Um comentário: