segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Estado civil: amigando


como era viver apaixonado e fazer merda atrás de merda. parece que foi ontem que eu me apaixonei pela primeira vez, quando o coração pulsa a 900km/h e você não consegue fazer parar. mentir que ia dormir na casa de alguém para passar a noite do seu lado assistindo pela vigésima vez "De repente é amor". eu tenho até hoje o recado que você escreveu em post-it dizendo: saudade é quando você vai no banheiro e a cama esfria. depois eu é que era o romântico de nós dois.
depois de um tempo você descobre que o amor da sua vida são seus amigos. todos eles – meus amigos – a gente deve ter um palácio no céu, para aguentar o que a gente aguenta, para viver o que a gente vive, para aturar quem a gente atura, para se apaixonar por quem a gente se apaixona, mas aí eu olho para o lado e tem vocês, e tudo vai facilitando, porque se eu pendo para um lado vocês me seguram, e se eu pendo para outro vocês me puxam.
difícil é eu trocar um fim de semana com vocês em frente a uma fogueira cantando "só por uma noite" do Charlie Brown, sorrindo, uns com cobertores, outros com mais calor que o normal, todo mundo junto, casais, solteiros, felizes, indecisos, tem de tudo um pouco, eu gosto desse "de tudo um pouco". não me sinto estranho no meio deles. sabe quando você acha sua espécie no meio de tantos seres humanos? então, eu achei a minha.

- Douglas Lenon
13 de novembro de 2010

2 comentários:

  1. owwn, somos da mesma espécie, acredito piamente nisso *-*
    eu te amo, te amo, te amo, de verdade <3

    ResponderExcluir
  2. Nossa.. que lindo! Lembrei a minha espécie, tão fiel... amigos de verdade. Como viver sem eles? Impossível!

    Adorei tua escrita. Parabéns!

    Estarei te seguindo.

    koisascomka.blogspot.com

    ResponderExcluir