segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Eu só queria um fim de tarde


eu só queria que ele me entendesse. eu estou farto de ficar me explicando toda hora, de me precipitar, eu te quis em um fim de tarde para me completar para todo sempre e você só pensava em qual seria a roupa que você iria usar para impressionar o mundo no outro dia. eu queria sentir mais orgulho de você, que você me permitisse sentir. eu sou tão desesperado como você para tudo e para todos.
não queria que você merecesse um texto meu, todos os outros mereceram e hoje viraram pó. e você como todos outros não me concedeu o direito de paz de espírito. eu só queria um fim de tarde cara, só isso. eu queria que o mundo parasse sabe, igual da primeira vez quando a gente falou de amor. queria te dizer tanta, mas tanta coisa que eu só sabia te olhar, que só quis te querer naquele momento.
era só um fim de tarde e você acha que eu ia me apaixonar. eu tinha um outro mundo inteiro para te mostrar e você nem me deu a chance. não imagina o quanto, mas eu já pensei em você de uma forma que me tirava o ar, e eu precisava parar de pensar senão eu morria. eu mataria milhões de monstros para te ter por perto, mas você não mataria nem uma barata por mim. eu quis ser tanto alguma coisa para você, que acabei não sendo coisa alguma para mim.

- Douglas Lenon
29 de novembro de 2010

"não sei, até hoje não sei se o príncipe era um deles. eu não podia saber, ele não falava. e, depois, ele não veio mais. eu dava um cavalo branco para ele, uma espada, dava um castelo e bruxas para ele matar, dava todas essas coisas e mais as que ele pedisse, fazia com a areia, com o sal, com as folhas dos coqueiros, com as cascas dos cocos, até com a minha carne eu construía um cavalo branco para aquele príncipe. mas ele não queria, acho que ele não queria, e eu não tive tempo de dizer que quando a gente precisa que alguém fique a gente constrói qualquer coisa, até um castelo." Caio Fernando Abreu

3 comentários: