segunda-feira, 18 de outubro de 2010


eu escolhi, que aquele fosse o último abraço. agora é outra que se perde em ombros tão largos, tomara que ela não se perca tanto ao ponto de um dia não enxergar o quanto aquele abraço é o lado bom da vida. aquele abraço era o lado bom da vida, mas para valorizá-lo eu precisava viver. e que irônico: pra viver eu precisava perdê-lo. se fosse uma comédia-romântica-americana, a gente se encontraria daqui a algum tempo, mas a realidade é que não gostamos desses tipo de filmes fraco com final feliz. gostamos dos europeus, 'cult', aonde na maioria das vezes as pessoas sofrem e perdem, assim como aconteceu com a gente.

- Tati Bernardi

às vezes vem essas malditas recaídas, mas a gente levanta, a gente anda,
eu ainda sangro, quer dizer que estou vivo ainda, mas não queria esse coração,
se pudesse vendia para um "sebo de corações usados", mas ninguém
ia comprar depois, acho que por isso não aceitam. beijos, Doug.
PS: galera vou visitar os blogs, mas preciso de tempo,
adoro o carinho de todos, e leio sempre os comentários.
ótima semana para todos!

Um comentário:

  1. As vezes final feliz n quer dizer que a historia é linda o valor ta no começo e ao decorer do tempo nao importa se é pra ri por felicidade ou chorar porque chegou o final o que vale mesmo é a historia que seja verdadeira emquanto dure..

    ResponderExcluir