sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Eu não sou o que sobrou da festa


eu só queria você aqui de novo, nunca te disse isso, ou te disse milhares de vezes e vou repetir: não me importo com o que você é, onde você vai, e por onde você vai. eu me importo com você. mesmo contra a vontade do meu coração – que clichê, von-ta-de-do-meu-co-ra-ção – eu ando saindo mais, gastando mais, perdendo bem mais, e só continuo sentindo mais e mais a sua falta. minha autoestima já foi bem mais alta, bem mais do que isso que sobrou aqui. eu não sei como é para as outras pessoas, mas eu me sinto feio, quando eu saio e não tenho a mínima vontade de ficar com alguém, e justo nessa noite ninguém – ok, teve uma exceção, duas no máximo – dá em cima de você, de mim no caso. me sinto o que sobrou da festa.
uma coisa é certa: eu não sou o que sobrou da festa. sou muito mais que uma bunda bonita, e muito mais que você pode imaginar. eu sei você não me merece, mas eu quero você. nessas horas a gente vê como é dificil dizer um sim. parece que é mais fácil passar no vestibular do que dizer o simples sim. já disse inúmeras vezes, eu não quero que você se importe, eu não quero atitude, eu quero você. com ou sem atitude.
odeio falar de amor – certo eu gosto – mas eu queria que o amor falasse comigo também. que o meu amor falasse comigo. parece uma conversa individual, conversa não. pensamento. se você me visse nessa noite de sábado que passou dançando do jeito que eu estava dançando, e não dava para dizer que era a bebida, porque uma dose de tequila não faz aquilo com uma pessoa, mas se você tivesse me visto, teria se partido de ciúmes. eu sei que você não me ama, mas você gosta de mim. e morre de ciúmes. e eu te odeio tanto por isso. mas eu sou bipolar, e já estou te amando outra vez.

- Douglas Lenon
10 de outubro de 2010

7 comentários:

  1. " mas eu queria que o amor falasse comigo também." Vou comentar nada não, Douglas. Esse dispensa ;)

    ResponderExcluir
  2. "eu sei que você não me merece, mas eu quero você."

    e quando isso é tudo que importa?...
    já vivi essa infinita quantidade de noites frias, e cheias, de um cheio que não me abastece nunca - pq coração sabe o lugar da gente. e quando isso é tudo que importa?


    ;*

    ResponderExcluir
  3. As vezes o coração da gente é meio que vagabundo...
    Texto lindo demais!
    Mesmo.

    ResponderExcluir
  4. "odeio falar de amor – certo eu gosto – mas eu queria que o amor falasse comigo também." É exatamente. Adorei o texto e o blog é fantástico! Te sigo .

    ResponderExcluir
  5. O amor é um tanto insensível. Vive deixando a gente falando só!
    Se um dia ele resolver falar comigo eu digo que vc ta querendo bater um papo com ele, do tipo sério.
    VC faz o mesmo por mim?
    =)
    Ótimo texto

    Bjks =*

    ResponderExcluir
  6. visito seu blog TODO DIA, adoro os textos, parabéns pela sinceridade e delicadeza das palavras...

    ResponderExcluir
  7. eu sei que vc naõ me merece..mais eu quero vc!
    haaaa meu DEUS,é taõ díficil dizer naõ,quando a pessoa que estraçalhou seu coraçaõ,ainda pertence á ele..já me sentir o que sobrou da festa,as vezes nem isso pq até o que sobrou da festa alguém se preocupa em varrer,e muitas vezes me sentia taõ sem mim..que me sentia nada..ninguém..ameii o texto!ameii o blog parabéns!

    ResponderExcluir