quinta-feira, 13 de janeiro de 2011


tenho talvez a ingenuidade de acreditar que tudo faz algum sentido, e que nós precisamos descobrir – ou inventá-lo. qualquer pessoa pode construir a sua "filosofia de vida". qualquer pessoa pode acumular vida interior. sem nenhuma conotação religiosa, mas ética: o que valho, e os outros, o que valem para mim? o que estou fazendo com a minha vida, o que pretendo com ela?
essa capacidade de refletir, ou de simplesmente aquietar-se para sentir, faz de nós algo além de cabides de roupas ou de ideias alheias. sempre foi duro vencer o espírito de rebanho, mas esse conflito se tomou esquizofrênico: de um lado precisamos ser como todo mundo, é importante adequar-se, ter seu grupo, pertencer; de outro lado é necessário preservar uma identidade e até impor-se, às vezes transgredir, para sobreviver.

- Lya Luft in Pensar é viver pertencente a obra “Pensar é transgredir”

Um comentário:

  1. Eii!
    Peguei um trecho teu e postei no meu blog, com os devidos créditos, claro! Espero que não se importe. Qualquer coisa me fala que tiro.. http://maira-souza.blogspot.com/

    BjO

    ResponderExcluir