quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Um dia


um dia você vai desacreditar do amor. um dia tu vai achar que o príncipe não passa de um sapo. um dia você vai desistir de tudo e no outro dia vai querer tudo de volta. um dia o mundo vai rodar rápido demais e você vai ver que tempo nunca é tempo o bastante. um dia você vai cair e ninguém vai te levantar, que amigos existem sim, mas que certas quedas são individuais, às vezes é necessário levantar sozinho. um dia você vai chorar de um modo tão triste que se o mundo vêsse, o mundo choraria junto.
um dia você vai olhar para tudo isso aqui e dar risada. um dia vai querer morrer por ter feito o que fez. um dia você vai querer esquecer e vai tentar retomar a caminhada de onde parou. um dia você não vai se lembrar o que fez na noite anterior e não vai nem conseguir levantar da cama. um dia você vai achar que é amor, mas vai ser só tesão. um dia você vai ficar em silêncio e não saber qual vai ser o motivo do luto.
um dia nada vai ser o bastante e você vai criar vergonha na cara para buscar o tudo. um dia você vai apostar tudo e perder. um dia você não vai apostar absolutamente nada e vai se surpreender. um dia você vai escrever uma carta e não vai mandar. um dia você vai sofrer e vai achar que é alguma doença, porque dói, inacreditavelmente é uma dor que não tem nome. um dia você vai sorrir em meio ao nada e se sentir realizado perante tudo que conquistou.
um dia, dois dias, três dias, chamam vida, e é assim.

- Douglas Lenon
25 de janeiro de 2010

Um comentário: